Espiritismo SEM Melindres

Estudo de temas analisados sob a ótica espírita. No Orkut procure a Comunidade "Espiritismo SEM Melindres".

16.9.08

AMOR acaba? Continua? Como? Quando?

Alma gêmea da minh’alma,
Flor de luz da minha vida,
Sublime estrela caída
Das belezas da amplidão! (...)

És meu tesouro infinito,
Juro-te eterna aliança,
Porque sou tua esperança,
Como és todo o meu amor! (...)

(Emmanuel, Há dois mil anos, Chico Xavier)


Hoje não falaremos sobre o amor universal, exemplificado por Jesus, intuído e desejado para o futuro da humanidade; analisaremos o amor entre duas almas, o que nos liga especialmente a uma pessoa.

Das definições de Amor que encontramos, a que parece estar mais de acordo com as necessidades deste estudo é:

Amor é o sentimento que indica a viva afeição
que nos impele para a pessoa
que é objeto dos nossos desejos,
numa clara inclinação da alma e do coração.

O verdadeiro amor, portanto, é aquele que sente afeição profunda, nos inclinando para uma pessoa em especial, com a qual a alma e o coração desejam compartilhar do mesmo ar, experiências e momentos. Qualquer desejo de posse, desconfiança, medo, ou exclusivamente sensual que haja no sentimento, demonstra que o amor está mesclado de paixão – ainda não se sublimou.

O AMOR ULTRAPASSA A MORTE?
Sim, o verdadeiro amor (paixão NÃO é amor) é laço incorruptível que transcende a morte. A morte é o fim da vida orgânica, nada mais que um desatar dos nós que prendem o princípio inteligente (alma) ao corpo material. Com a morte, o que somos, sentimos e pensamos permanece vivo, até mais intenso, pois já não está ofuscado pela matéria. Sendo assim, os sentimentos permanecem vivos.

HÁ VÍNCULOS DE AMOR NAS REENCARNAÇÕES E NA ETERNIDADE?
Se a alma é imortal e o amor transcende a morte, fácil é conceber que os vínculos de amor alimentado nas diversas encarnações, continuam existindo tanto na erraticidade (período vivido na espiritualidade, entre as encarnações) quanto durante a encarnação. Na vida espiritual o sentimento é pleno, consciente, sabemos quem é alvo de nosso afeto e dedicação, embora não deixemos de amar fraternalmente, infinitos outros espíritos que caminham conosco.

EXISTEM ALMAS GÊMEAS?
Não existem almas gêmeas no sentido popularmente utilizado, ou seja, duas metades que eternamente necessitam uma da outra para completar-se, que se procuram incessantemente, infelizes uma sem a outra, e sendo uma fatalidade estarem juntas um dia. Deus fez cada espírito inteiro, indivisível. No entanto podemos entender como sendo almas gêmeas, as almas que caminham juntas na imortalidade, encarnam próximas, conhecem-se, ajudam-se, compartilham, e aprendem a amar-se de forma especial. Uma e outra são inteiras, embora se amem e procurem ajudar-se. Este amor não as faz olvidar o amor fraterno e universal que todos sentiremos um dia, por toda a humanidade.

AS ALMAS QUE SE AMAM, SE ENCONTRAM EM OUTRAS VIDAS?
Havendo continuidade da vida na espiritualidade, a única permanente, e havendo a condição positiva do espírito levar consigo suas aquisições morais, de conhecimento e sentimentais, o amor que sentem é como imã que os atrai aos objetos de seu afeto, tanto na encarnação quanto na espiritualidade. A vida espiritual é de atividade construtiva, as almas que se amam procuram estudar e trabalhar juntas, ajudam-se no crescimento mútuo, os mais adiantados auxiliam os que se perderam temporariamente no caminho. Muitas encarnam juntas; outras optam por seguir o afeto que encarnou, em espírito, como “anjo de guarda”. O certo é que não se esquecem, e procuram estar por perto para mutuamente apoiarem-se.

É POSSÍVEL RECONHECER UM AMOR DE VIDAS PASSADAS?
Na espiritualidade o sentimento é claro, de uma força e suavidade que mostram o que existe entre os espíritos que o sentem. Tanto mais fácil perceber este elo afetivo, quanto mais desenvolvido moral e espiritualmente é o espírito. Já durante a encarnação, há uma limitação imposta pelo esquecimento do passado, uma vantagem que Deus nos proporcionou para que o livre-arbítrio fosse pleno em nós. Quando encarnamos esquecemos do passado, e deixamos adormecidas lembranças e sentimentos. Se duas almas que se amam se encontram, talvez não venham a perceber imediatamente a importância real de uma na vida da outra, mas sentirão empatia, simpatia ímpar e profunda, o que as faz pender para a pessoa que acabaram de conhecer na nova encarnação. O reconhecimento de um amor de milênios pode ser forte e imediato, mas em geral, para nos facilitar a vida, surge doce e suave, lenta e profundamente.

O QUE FAZER QUANDO SE REENCONTRAM COM DESTINOS JÁ DEFINIDOS?
O fato de duas almas gêmeas – no sentido que expusemos, de terem aprendido a amar-se e que se procuram para continuar juntas sua jornada – encontrarem-se na encarnação, não significa necessariamente que devam ficar juntas, enquanto a experiência terrena estiver em andamento. Há reencontros que acontecem para que formem família, exemplifiquem o sentimento, evoluindo e dando, uma à outra, força nas provas, expiações e missões que vieram cumprir. É bem comum também que afetos verdadeiros não se encontrem, que estejam, cada um, vivendo experiências com outras almas, de modo a ampliar os laços do amor fraternal. Neste caso, costumam aliviar a saudade através de visitas em espírito (sonhos).

Há ainda outra possibilidade, em geral prova bem difícil por exigir o mais amplo sentimento de resignação, coragem e amor ao próximo: duas almas encontrarem-se, reconhecerem-se, amarem-se e não poderem ficar juntas porque já estão comprometidas com outras pessoas e famílias.

E porque Deus faria isso? Deus não fez. As próprias almas pediram esta prova como exercício expiatório e prova de resistência de suas más tendências, em geral, o egoísmo.

Imaginemos...

Duas almas aprendem a se amar; almas gêmeas que se tornam, escolhem experiências que irão fazê-las evoluir. Espíritos ainda em progresso, possuem defeitos morais que estão trabalhando nas existências. Nascem juntas, separadas, na mesma família, em outras, entre amigos ou inimigos. Entre tantas vidas, numa optam por temporariamente (o que são os anos de uma encarnação perante a imortalidade?) por encarnarem separadas. Casam-se com outras pessoas, formam famílias. Mas um dia encontram-se. Reconhecem-se. O amor ressurge. Seus compromissos espirituais são logo esquecidos, desejam-se. Eles deveriam resistir à tentação de trair, de abandonar os companheiros, os filhos, os compromissos, construindo falsa felicidade sobre lágrimas alheias. No entanto cedem. Traem, abandonam, fogem... não importa. Querem ser felizes e isso lhes basta. É o EGOÍSMO e a falta de fé no futuro, que lhes dirige a ação.

Mas não há real felicidade senão a conquistada no direito e na justiça. Se vencerem a tentação de fazer o que citamos, terão no futuro o mérito de estar uma com a outra. Se se deixam arrastar pelas paixões, estarão fadadas a novos afastamentos, lições dolorosas.

Escolhem esta experiência porque a visão que têm na espiritualidade é diferente da limitada visão da encarnação. Melhor abrir temporariamente mão da presença amada, já que o afeto não se esvai na ausência, do que abrir mão de estarem juntos em várias vidas e seus intervalos. Sendo o egoísmo o único motivador (e não o amor) da escolha de ficarem juntos a qualquer preço, constrói-se sólido castelo sobre a areia das ilusões. Fatalmente ele desmoronará, e será preciso reconstruí-lo.

By

Vania Loir@ Vasconcelos

.

criado por rmleite    18:30:38 — Filed under: Espiritismo

155 Comments »

  1. Comment by Adriana Martins — 16.9.08 @ 19:08:36

    Querida Vania! Amei o seu texto!! Lindíssimo, maravilhoso! Acredito em tudo que escreveu e sempre há o reconhecimento dos grandes amores,nas reencarnações!Tudo perfeito e divino!
  2. Comment by Amaro — 17.9.08 @ 10:06:36

    "Ainda que eu falasse a língua dos homens, e falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria..."(Renato Russo em Monte Castelo) A experiência é o que conta.
  3. Comment by Yvonne — 17.9.08 @ 10:50:27

    Vania querida, que delícia ler o seu texto. Acho que o amor sobrevive a tudo, inclusive ao tempo.Beijocas
  4. Comment by Natália — 18.9.08 @ 01:54:30

    Vania, como sempre trazendo lindos textos para reflexão e aprendizado!Agradeço a você por ser minha amiga!bjus
  5. Comment by Vania Vasconcelos — 22.9.08 @ 18:55:22

    Agradeço de coração aos amigos que vem prestigiar este espaço, aos que deixam seus recadinhos, aos que só lêem, porque o importante é que o que está escrito aqui, sirva para alguma reflexão. Espero que tenha sido útil... Abraços carinhosos!
  6. Comment by Silvio Benitez -Foz do Iguaçu — 25.9.08 @ 16:18:23

    Muito profunda a sua observação amiga vânia, uma perguntinha, vc não tem duas irmãs, uma se chama Sheila e outra Katia???
  7. Comment by Vania Vasconcelos — 27.9.08 @ 11:58:03

    Silvio! Que alegria ver seu recado! Tão bom quando vejo a internet reaproximar amigos tão antigos como nós! Fiquei muito feliz, já anotei seu email e enviei mensagem particular para você. Também avisei a Katia e a Sheila, que você nos encontrou. Espero que apareça mais vezes por aqui também! Beijo!
  8. Comment by André Rodrigues — 29.9.08 @ 00:39:43

    Texto muito inspirador e, no meu atual momento de vida, muito elucidativo. É a minha primeira visita ao site, e depois dessa bela experiência só me resta dizer: muito obrigado!
  9. Comment by Vania Vasconcelos — 30.9.08 @ 14:53:49

    André, tão bom para mim, poder ler sua frase... não há melhor sentimento do que aquele que é o do dever cumprido. Sempre escrevo pensando que se o texto servir para uma só pessoa, terei feito minha parte. Que bom que pude auxiliá-lo de alguma forma. Eu é que te agradeço pela generosidade em manifestar sua opinião, pois sem isso, não saberia se acertei, se fui útil, se devo continuar a escrever. Volte sempre! Paz e Luz!
  10. Comment by Luiza — 22.10.08 @ 18:45:50

    Vania, Adorei o texto - inspirador, sensível e bonito. Parabéns!
  11. Comment by Scheilla — 6.12.09 @ 07:19:02

    Bom dia, Vania!!! Belíssimo texto! Muito profundo e cativante. Concordo com os posicionamentos e as afirmativas que faz sobre o amor... Adorei! Parabéns!
  12. Comment by Val D'andrea — 5.4.10 @ 14:41:01

    Amei seu testo,veio bem a calhar
  13. Comment by fernanda fialho — 16.11.10 @ 14:01:49

    SEU TEXTO ME AJUDOU MUITO A COMPREENDER O PQ DA MINHA RELAÇAO COM UMA PESSOA QUE REEBCONTREI E SEI QUE FOI UMA GRANDE AMOR DE VIDA PASSADAS E ELE TB SABE DISSO. SEMPRE FALEI A ELE QUE NESSA VIDA NAO PODEMOS MAS TER NADA UM COM OUTRO PQ JA TEMOS NOSSOAS VIDAS PRICINPALMENTE ELE. EU SOU SOLTEITA ELE NAO. JA TENDAMOS FAZER LOUCURAS MAS NA HORA SEMPRE DEU ERRADO .ONTEM MEMSO ELE ME FALOU QUE NAO TINHA MANDADO MINHAS PASSAGENS PQ SABE QUE O QUEREMOS FAZER E ERRADO . AINDA BEM ELE ESTAR TOMANDO CONCIENCIA DISSO , MAS SEMPRE FALA QUE A MINHA VIDA E A DELE E UMA SO E ESTAMOS PRESSOS A ISSO E QUE EU NAO VOU ARRUMAR NINGUEM SEM A PERMISAÔ DELE ISSO SEI QUE NAO E BOM POIS AMARRAR NOSSA VIDAS .SE PUDER ME AJUDAR COM ALGUMA PALAVRA FICATEI GRATA .
  14. Comment by Paula — 9.9.11 @ 16:28:45

    Me emocionei com o texto! Lindo, inspirador e me fortaleceu quanto as minhas dúvidas sobre o amor! Amo o meu namorado e pretendo passar muitas vidas ao lado dele, quero a companhia dele comigo pra sempre, ele é incrível, um ser humano lindo!!
  15. Comment by Aline — 13.12.11 @ 13:59:46

    Encontrei neste texto as palavras que estava buscando. Nunca esqueci meu amor da adolescencia, e sei q ele tb n me esqueceu, porém já tenho um relacionamento que dura 4 anos, nos damos mt bem e pretendemos nos casar assim q possível. Por esse meu companheiro, abri mão do meu antigo amor, mas não consigo esquece-lo nem por um dia, já perdi as contas de quantos sonhos maravilhosos tive com ele, e acordar e ver que a realidade é outra, é realmente dolorido. Nós nos reencontramos, foi uma mistura de sentimento, um desejo incontrolável, a ponto de fazer loucuras. Mas coloquei minha cabeça no lugar, vi q daquela forma nunca daria certo, que era melhor abrir mão, entregar minha vida à Deus, que se um dia tivermos que ficar juntos, ficaremos.. Pois quando tentamos nessa vida, nunca deu certo, sempre aconteceram coisas para dar errado. Hoje ele está namorando alguém, desejo que ele seja feliz, que a ame de verdade e que ela tb o faça feliz.., n vou negar que está doendo ve-lo com outra pessoa, mas desejo realmente a felicidade à eles,já que sei q comigo, pelo menos por enqnto, n será possível... vivo na esperanaça de um dia poder viver esse amor, tão imenso, que pulsa dentro de mim... Se não nesta vida em outras... Obrigada pelo texto, no blog, fez meu coração se acalmar um pouco... Abraços fraternos, que Deus nos abençoe!
  16. Comment by danilo o machado — 11.5.12 @ 03:44:25

    comecei a namorar com 17 anos e minha namorada com 15 anos se engravidou vivemos 17 anos juntos temos uma filha linda mais eu conheci uma pessoa q mora na mesma cidade q nos q e uma prima da minha mae meio distante q so vim saber depois comecei asair com ela estou louco por ela e ela por mim e uma coisa q eu nunca senti por minha esposa ela tambem ja foi casada eteve 2 filhos e se separou do marido antes de nos conhecer poderia me dar um consel
  17. Comment by Marina — 1.6.12 @ 02:41:44

    que texto incrível! parabéns! é muito difícil encontrar hoje em dia conteúdo de qualidade na internet. agradeço pelas informações, esclareci dúvidas que há muito me acompanhavam ! obrigada! abraço!
  18. Comment by SUZANA — 4.7.12 @ 23:55:13

    Adorei o texto , muito especial a leitura bjs..
  19. Comment by luciano — 6.7.12 @ 23:03:23

    esse texto me deu mais força e fé pra cumprir minha missao mediunica. minha alma gemea está desencarnada e é meu guardiao. somente no plano astral que poderemos viver juntos. mas sempre estamos em contato.
  20. Comment by Renata — 19.8.12 @ 01:50:17

    Gostei muito do seu texto. Na realidade, eu precisava lê-lo há um bom tempo. Com suas explanações ganhei mais ânimo para saber entender e respeitar o amor. Que Deus te ilumine sempre, emanando muita luz e paz para sua vida.
  21. Comment by patricia — 21.8.12 @ 00:56:58

    Querida Vânia, em busca de respostas encontrei esse site e seu texto. Maravilhoso, me trouxe paz e entendimento. Obrigada, que Deus sempre te acompanhe.
  22. Comment by Ana Paula Viana — 29.8.12 @ 14:27:33

    Maravilhoso, parabéns !!
  23. Comment by Jessu — 31.8.12 @ 23:21:44

    Texto tao confortante...eu espero encontrar a pessoa certa pra mim um dia e matar essa saudade tao distante que nao consigo entender. =)
  24. Comment by renata — 6.9.12 @ 17:29:18

    Espero do fundo de minha alma que todas as suas palavras nesse texto sejam o caminho das minhas duvidas.Pois o texto caiu como uma luva.Eu tenho certeza que já o encontrei,mas não podemos,ou melhor decidimos para o bem de outros estarmos separados.Mas tanto eu qt ele não perdemos o contato,sentimos uma enorme saudade,mas seguimos caminhos separados.A resignação é nossa aliada,e a saudade companheira.
  25. Comment by Janaina — 10.11.12 @ 02:52:58

    Eu tenho um amor de outras vidas, mas, infelizmente ele é casado hoje.. É inexplicável o que sentimos um pelo outro. Desde a primeira vez que nos vimos, sabia que eu o conhecia mesmo sem conhece-lo. Já tentei me relacionar com outras pessoas, mas, não consigo levar pra frente,. Hoje eu posso dizer que sei o que é amor e o que é paixão. Estou disposta a enfrentar qualquer coisa para vivermos esse amor. Só pra você ter uma ideia, Deus passou a fazer parte da minha vida depois que o conheci. Alias, eu mudei muitos dos meus conceitos.. Amor demais, que transborda.. Ainda vou ficar com ele. É a vontade de Deus!!
  26. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 24.11.12 @ 21:34:33

    Agradeço por todos os comentários! As atrações da alma que não são supridas na Terra, não se extinguem e a distância nos dá oportunidades de amar (ainda que um outro amor) outras pessoas. O que é importante é não deixar de viver por conta da saudade ou da solidão, pois aquele que resiste bem ao teste do tempo, tem a eternidade para estar com aqueles que ama... abraços de paz!
  27. Comment by silvana — 5.12.12 @ 22:57:20

    eu tenho que acreditar que vou encontrar meu amor,tivemos uma vida de 11 anos juntos um tempo muito bom mas muito pertubado tbem não se separavamos mesmo com brigas fortes davamos um tempo e logo estavamos nos amando novamente, um dia apos um passeio o qual o levou bruscamente para outra vida ....fiquei sem chao ele era a minha vida meu mundo e eu o dele e agora morro de saudade dele, sei que sofre por não estar comigo.nao consigo entender porque ele teve que partir .
  28. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 7.12.12 @ 21:39:45

    SILVANA, acredite pois é fato que Deus não separa definitivamente aqueles que se amam. O amor é laço que transcende a distância, a morte, o tempo. O importante é amar de forma resignada, não ficar vivendo o inconformismo que nega a bondade divina. Tenha certeza de viver o melhor aqui, como ele deve estar vivendo o melhor onde está, para que mereçam ficar juntos outras vez. Aproveito para colocar para você, um poema que fiz sobre isso. Beijo. ♡ NOS SONHOS DE AMOR DAQUELA ALMA Ah, alma que se vê triste! Sonhando com a pessoa que se foi Com aquele toque lento e suave Com o beijo absurdamente quente Que fazia dois sentissem ser um. Ah, alma que vive de esperança! Sonhando fazer outra vez real O toque apaixonadamente intenso, Novamente trocar um beijo (de amor) E nele sentir-se outra vez feliz. Ah, sonho sem fim de uma alma! Que vive desejando o futuro Esperando pular aquele muro Da distância que separou Dois corpos e corações. _____ Há amores que não são concretizados na encarnação, pois Deus não beneficia aquele que outrora usou mal o amor, o corpo, os relacionamentos. Não significa que Ele manterá para sempre duas almas que realmente se amam, separadas, mas que estas precisam aprender a amar direito, sem sustentar sua felicidade sobre a infelicidade alheia. Depois da prova vencida, o reencontro inevitável. By Vitória Luz Vania Mugnato de Vasconcelos Conheça a Rabiscos de Vitória Luz http://rabiscosdevitorialuz.blogspot.com.br ♡
  29. Comment by Aurea fernandes — 30.12.12 @ 01:41:00

    Fui sacerdotiza na vida passada,EU era muito poderosa e encontrei nesta vida um sacerdote que me ama , pelo que demonstra, pelas suas atitudes e eu tb acabei me apaixonando porém ele se esquiva de mim, não sei o que acontecerá pois ele jamais irá falar para mim do seu amor. Acho que ele vai me deixar pois está partindo para outra igreja em outro Estado, GOSTRARIA DE UMA OPÍNIAO A RESPEIRO JÁ QUE ELE É QUEM PEDIU A DEUS PArA ENCONTRAR-ME PARA RESGATAR ALGUMA COISA DO PASSADO, AJUDEM-ME ! POR FAVOR.
  30. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 2.1.13 @ 16:41:58

    Aurea, pelo que você fala, dá para compreender que há uma impossibilidade material de concretizar seu amor, ao menos foi o que pareceu. Se assim for, vocês escolheram isso antes de nascer, para aprender um novo tipo de amor. Não presuma que sabe tudo o que aconteceu no seu passado nem que adivinha o que será o seu futuro, se passado e presente fossem conhecimentos úteis, Deus nos deixaria recordar e saber. Mas não, Ele nos bloqueia, exatamente para que o que está te ocorrendo não aconteça. Se quer um conselho, ame sem apegos, não quer dizer que se amamos sem tocar não é amor... e mais, se há uma impossibilidade material mesmo de ficarem juntos (incluindo aqui a vontade dele em ficar com você, seja qual o motivo que o afasta), tente conhecer outras pessoas, abrir a alma a outras oportunidades. Sei que pensará que não é isso que quer, mas quando a gente luta contra a vida, apenas sofre. Talvez, inclusive, desapegando-se é que o trará para perto, isso não é raro de ocorrer pois a lei divina é educativa e quando já aprendemos o que quer ensinar, não precisamos mais sofrer certas experiências. Te desejo muita luz!
  31. Comment by Raquel — 5.1.13 @ 15:13:55

    Muito esclarecedor o seu texto minha amiga,eu estou em uma situação confusa...tenho um companheiro a quem respeito e "amo",porém é uma pessoa muito diferente de mim e tenho a sensação de vazio e falta de algo, o que ele faz a maioria das vezes não me agrada,me ofende....Por muitas vezes quando estou só,ao adormecer sinto como se alguém me envolvesse com os braços....será que meu amor não está nesse plano comigo?
  32. Comment by Camilla — 13.1.13 @ 16:01:39

    Muito lindo e profundo esse texto. Encontro aqui algumas possíveis explicações para um amor inesquecivel, um amor lindo, que sobrevive ao tempo e a distancia.
  33. Comment by Norma Rossi — 19.1.13 @ 17:47:49

    Vania Eu a conheci hoje, meio sem querer. Amei o texto. Fui casada com o Henrique por 22 anos e 20 dias. Ele, que era sadio, alegre, feliz, descobriu-se com um cancer de próstata aos 49 anos, em estado avançado e já disseminado. Me deixou com dois filhos e uma grande, imensa saudade. Éramos voluntários juntos (continuo sendo), espírita, mas ainda é um choque para mim, viver sem meu companheiro.Eramos MUITO felizes juntos. companheiro de todas as horas, assim como eu para ele. Já me mandou uma psicografia e fala que o amor hoje É MAIS REAL. Porém, ficou um BURACO, UM IMENSO VAZIO na minha vida. Parece que estou num beco sem saída, pois preciso ainda apoiar meus filhos, os quais ele me confiou. Acordo e vejo que é verdade, ele não está aqui. Já recebi outros recados dele . Mas não vejo a hora de reencontrá-l0. Ele sempre dizia que queria se casar comigo, quantas reencarnações ele tivesse... Está difiícil, sofrido, solitário e triste, apesar do meu voluntariado na creche e meus estudos espíritas. Preciso sempre de uma palavra de conforto. Vamos nos reencontrar ? grata, norma
  34. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.1.13 @ 18:01:06

    RAQUEL, nossos relacionamentos na Terra podem ser fruto de amor verdadeiro ou da necessidade de construí-lo. Muitas vezes somos atraídos a relacionamentos com desafetos ou parceiros de nossos erros de outrora, com os quais nos dispusemos a reconciliar. Por isso é tão importante a tolerância, o diálogo, o respeito. Mas, convenhamos, de que adianta ficar avaliando se nosso companheiro(a) é ou não nosso verdadeiro amor de alma, ou se este está em outrem? Irá isso facilitar nossa vida? Aceitar o outro como é, tentar ser modelo a ser seguido, é o ideal. Por outro lado, querida, essa sensação que possui pode ou não, ser de uma alma com a qual possui afinidades amorosas, mas tome cuidado, além de não necessariamente ser assim, pode ser apenas seu mentor te acalentando enquanto você confunde as coisas, também pode ser um ex-afeto que ainda acha que você lhe pertence e se você der guarida a ele, permitindo esse assédio, poderá acabar permitindo a instalação de um processo obsessivo. SE você nada compreender de Espiritismo, isso te deixará preocupada, procure-me no Facebook (imagino que possua, a maioria das pessoas possui) e lá escreva-me em particular, te explico direitinha, ok? Abaixo deixo o meu link no Facebook e do meu blog novo, pois este eu desativei para novas postagens. Grande beijo! CAMILLA, esses amores inesquecíveis costumam ser laços antigos os quais temporariamente tivemos que distender, mas nunca esmorecem. Viva bem o hoje, ame, relacione-se e evolua, pois se for assim, o bom aproveitamento da encarnação permite reaproximações futuras permanentes. Beijo! NORMA, sinto por sua saudade, mas, como dizem, significa que valeu a pena. Não preciso te explicar o que você já sabe, sobre a permanência dos laços espirituais verdadeiros, você precisa que alguém lhe confirme que aquilo que crê é verdade e é verdade. O amor é transcendental, não deixa de existir porque um morre na carne, você tem provas disso, não só pelas cartas, mas pela consciência da vida imortal e da própria vida em comum com seu esposo, que lhe faz ter convicção de que ele jamais abriria mão de viver perto de você amando-a tanto. Olha, se te posso aconselhar em algo é que console-se e viva o mais resignada e corajosamente possível, é possível ser feliz ainda que incompletamente. Por conta de seus méritos mútuos, por conta de seu amor mútuo, Deus permite que seu esposo te envie mensagens, mas se você mantiver-se fragilizada, pode acontecer de não ser mais permitida a comunicação. Explico melhor: há casos em que o que serve para nos fortalecer (como a prova de um amor que segue além da vida carnal), nos deixa um vazio maior e, por conta de nossas limitações, nos faz tropeçar. Nem Deus, nem nosso anjo de guarda, nem nossos afetos querem isso... então evita-se despertar esse vazio, compreende? Saudade não tem problema, chorar as vezes não tem problema, só não pode viver em prol da falta quando você tem o fruto de um amor e vida em comum, para amar e guiar. O tempo passa rápido, querida e quando menos esperar você o encontrará definitivamente, confie nisso. Realize e conte em suas preces, o que fez, sinta e fale se quiser, que faz parte da sua escada na direção dele... beijo!! MEU FACEBOOK: www.facebook.com/vaniamv19 MEU NOVO BLOG: http://espiritismosemmelindres.blogspot.com.br/ Paz e luz!
  35. Comment by Viviane — 25.2.13 @ 06:57:39

    Bom dia Vania! Gostei mto de seu blog, me caiu como uma luva para o meu desespero deste momento. Por favor, me ajude, estou angustiada. Acho que o meu caso é o pior e mais estranho de todos. Conheci uma pessoa em 2004 e me apaixonei por ele instantaneamente. Peguei seu telefone com o amigo dele e liguei pela primeira vez. Nos encontramos algumas vezes e eu me apaixonei de vez. No começo nos viamos com frequencia, ele dizia que gostava de mim, porém ele desaparecia, ficava semanas sem dar noticias e as vezes eu ligava e não o encontrava. Quando conseguia falar com ele as vees marcavamos de nos encontrar e era só. Depois ele sumia novamente. Com o tempo ele foi se distanciando ainda mais e os encontros ficaram cada vez mais espaçados. A minha paixao aumentava a cada anos que passava. Um dia eu o chamei para conversar e explicar sobre o amor que sentia, ele disse que nunca me amou, que queria ser livre e que era pra eu não o procurar mais. Disse ainda que poderia ser que com o tempo ele mudasse. Eu nunca quis invadir sua vida, sempre respeitei o fato de ele querer ser livre, mas a saudade me torturava e eu sempre ligava para implorar uma migalha de seu amor. Ele vinha me encontrar, mas sempre deixava claro que não sentia nada por mim. O tempo passou, esse amor cresceu ainda mais. Ficamos um bom tempo sem se ver e se falar, nas ultimas vezes que eu falei com ele ele foi mto gentil e educado, mas me tratou com frieza. O meu amor por ele so aumentou nesses ultimos anos. Embora ele nunca me desse, eu tinha esperanças de ele mudar e se cansar da vida que vivia e um dia ficarmos juntos, já que ele me disse uma vez que poderia mudar. Pois bem, no começo de fevereiro ele foi assassinado, e com ele morreu um pedaço de mim. O mais estranho de tudo é que sonhei com ele durante tres dias seguidos que antecederam sua morte. Embora nunca tenha tido chances com ele e ter sofrido demais esses longos anos, eu o amava demais e ainda me resta a esperança de reencontrá-lo em outras vidas. É possivel que ele seja um amor meu de outras vidas? Estou sofrendo muito com sua perda, principalmente por ter tido ele tão pouco em minha vida. Por favor, me de uma orientação. comecei a frequentar uma casa espírita mas não obtive resposta sobre isso. Desde já obrigada, que Deus te abençoe.
  36. Comment by Carolina — 9.3.13 @ 01:48:09

    Vânia... Como Deus é Perfeito!!! Foi tentando encontrar explicações para o que eu vivi há alguns dias atrás, mesmo sabendo sobre o que se tratava, que encontrei seu blog ao pesquisar sobre encontro de almas na vida terrena. Ao ler não tive mais dúvidas a respeito do que vivi... Vou relatar-lhe o fato, pois vi que responde aos nossos comentários, e suas palavras trazem conforto e ainda mais confiança na espiritualidade. Semana passada fiz uma viagem, e conheci um homem no hotel que estava hospedada, enquanto tomávamos banho de piscina a noite, sob a lua cheia (sou apaixonada por essa fase). Antes mesmo de nos aproximarmos, o vi de longe e de costas, e senti algo diferente, depois de passado o fato, creio eu que senti algo familiar. Ao nos aproximarmos ele se dirigiu a mim, instantaneamente, e logo começamos a conversar... Conversamos sobre toda a nossa vida, sobre as coisas que nos aconteceram, nossas buscas, nossas conquistas, nossas perdas, nossa família, e no meio da conversa ele disse que era casado. Até então, nada tinha passado de uma enorme empatia, mas nesse momento, quando ele disse que era casado, senti um estalo dentro de mim, e senti como se existisse uma faixa que não poderia ser ultrapassada (depois de ler seu texto compreendi o que foi), mas nada foi alterado, continuamos conversando por horas a fio. Ficamos das 20h as 1:30 na piscina, sem sair daquele momento que parecia mágico. Conversamos sobre a nossa vida, sobre as nossas expectativas e desejos, e era como se nos conhecêssemos há muito tempo, pois a afinidade, a cumplicidade era tamanha. Durante outro dois dias nos encontramos no café da manhã, mas sempre muito rápido, pois ele estava a trabalho e tinha que cumprir suas obrigações profissionais. Como sou médium e estudiosa nos assuntos espirituais comecei a me questionar a respeito do que sentia em relação ao fato, e então, como se alguém sussurrasse em meu ouvido, percebi que estava diante de alguém especial. Percebi que quando nos encontrávamos, ele ficava embaraçado, desconsertado e parecia correr daquela situação, mas sempre vinha ao meu encontro, mesmo que fosse para dar um abraço e um beijo de bom dia. Quando nos despedimos para seguirmos o nosso destino, voltar cada um para sua vida, senti a dor da despedida, da improvável possibilidade de outro reencontro... Tenho sentido tanta saudade, tenho sofrido com a possível situação de ter reencontrado um grande amor, pois quando o vi, percebi que ele era exatamente a pessoa que sempre imaginei ser o homem dos meus sonhos, o sorriso, o olhar, a voz, os cabelos, o jeito... Enfim, ainda sinto a presença daquele instante a todo momento e o seu texto me disse exatamente o que eu precisava saber... Não fomos egoístas, não pensamos em nós, em nos deixar levar pela magia daquele momento e nos render a paixão, ao desejo, e acredito que houve a renúncia, que presume a resignação das nossas almas. Contudo, o que fazer a partir de agora, se sinto que depois desse encontro senti novamente a vontade de amar, de me entregar, já que me encontrava tão decepcionada e desacreditada, já não achava possível sentir amor outra vez. Ele veio e mudou tudo em mim...
  37. Comment by Carolina — 9.3.13 @ 02:04:41

    Antes de viajar eu tive um sonho em que estava numa estrada e passava um cavaleiro, e que conversávamos... Ou seja, presumo que já previa este encontro antes mesmo de conhecê-lo. Sempre fui encantada com a estrada, vivo viajando e sei que em outra encarnação fui cigana, e creio que esse encontro já era previsto. Aguardo resposta.
  38. Comment by LUIZA — 20.3.13 @ 04:01:41

    Ola Vânia por acaso me deparei com seu post e numa situação um tanto quanto desconcertante a alguns anos tenho vagas lembranças e sonhos com uma pessoa que nunca vi mas que não consigo esquecer as vezes em sonho vejo o rosto dessa pessoa mas na vida real nunca estivemos próximas as vezes lembros dos olhos assim como se estivesse diante de mim num corpo físico o nome dessa pessoa é viviane mas me angústia cada dia mais a não presença dessa pessoa na minha vida me angústia não saber de quem se trata já fui pra igreja para o psicólogo e ninguém me ajuda a chegar numa explicação lógica e toda vez que sonho com essa pessoa quando acordo sinto uma sensação de ternura de amor mas também uma dor no peito como se eu houvesse perdido alguem querido alguem amado as vezes penso que estou louca será que voce poderia me ajudar ou me indicar alguem ? Beijos
  39. Comment by Carolina — 22.3.13 @ 03:38:41

    LUIZA, pelo visto ela não responde mais ao blog, tenho olhado constantemente, mas nada de retorno. Como sou Espírita, estudo todos os assuntos vinculados a espiritualidade, sendo assim, tentarei aliviar sua angustia. Creio que não é motivo para sentir-se angustiada, possivelmente, esse espírito encontra-se desencarnado e acompanha você na jornada terrena. Como a sensação que sente é de ternura e amor, creio que existem laços fraternos que ligam vocês. Se você conseguir lembrar dos sonhos, perceberá que esta pessoa não se encontra entre nós, mas encontram-se no sono, pois é qdo nosso corpo de desprende e visita pessoas e lugares que fazem parte de outras encarnações, ou mesmo desta. Sendo assim, a oração é a melhor forma de se sentir tranquila e em paz, como fazer com que esse espírito também sinta paz e tranquilidade.Essa dor que diz sentir creio que é a dor da saudade, da falta que essa pessoa faz em sua vida, mas procure se alimentar apenas do amor e ternura emanadas. Não é loucura querida, a espiritualidade existe, mas poucos podem compreende-la, e você está tendo o privilégio de vive-la. Outra dica é procurar um centro espírita, Kardecista, e estudar sobre a espiritualidade e seus fenômenos. Boa sorte!
  40. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 22.3.13 @ 10:02:26

    Amigos, infelizmente a caixa de SPAM tinha segurado as mensagens que avisavam que havia comentários neste blog e como poucos me procuram aqui, não me apercebi disso. LUIZA, como Carolina disse gentilmente, não é loucura alguma sentir que há uma pessoa que não conhecemos no corpo físico, porém é nosso afeto espiritual. Não só há afetos de outrora que nos visitam, como nossos próprios mentores, anjos de guarda, costumam ser almas queridas de outras vidas. Ao invés de desesperar-se, sentir vazio, dor de solidão, agradeça a Deus que Ele permita que se vejam e que possa recordar que há alguém importante para você, que não te esquece. Se você estudar o ESPIRITISMO, indo a um CENTRO ESPÍRITA, mesmo que não seja espírita (o que não tem problema), poderá compreender os laços que existem entre as almas. Recomendo a leitura de um trecho de O Evangelho Segundo o Espiritismo, que fala sobre "A reencarnação fortalece os laços de família, ao passo que a unicidade da existência os rompe". Veja nesse link e se ficar dúvidas pode escrever, pois regularizei a questão da caixa de SPAM. http://espirito.org.br/portal/codificacao/es/es-04.html#es4a2 CAROLINA, grata pela ajuda; esclareço que não abandonei o blog, fui obrigada a trocar para o Blogspot pois o Terra estava terrível não conseguia postar, todos estes posts são anteriores oa tempo em que comuniquei a mudança. Mas sempre que recebo aviso de comentário (e recebi o seu, estranhamente), venho aqui e dou o meu auxílio na medida do possível. SEJAM SEMPRE BEM VINDAS. Paz sempre.
  41. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 22.3.13 @ 10:07:21

    CAROLINA, lindo o seu relato sobre o encontro com o seu "cavaleiro". Feliz aquele que consegue pensar no que é correto e seguir valores morais para merecer depois um "ficar", ao invés de um "encontrar e partir". Imagino o que sente sobre esse vazio e saudade de um estranho que sabemos conhecer... mas certamente não perdeu a possibilidade de um amor, construiu uma ponte até um amor verdadeiro e justo de se viver. Deus te ilumine nesse caminho.
  42. Comment by magali — 22.3.13 @ 20:00:20

    só gostaria de comentar que é muito difícil imaginar que a pessoa amada está ao seu lado novamente, o desejo é tão grande, o carinho também, e falarmos Não, vá embora.
  43. Comment by Carolina — 22.3.13 @ 20:23:13

    Muito obrigada Vânia!!! Seu blog é lindo e especial!!! Grande abraço
  44. Comment by Carolina — 22.3.13 @ 20:28:12

    Magali, nesses momentos, quando recebemos um presente divino e especial, só devemos vivê-lo intensamente, mas mantermos o discernimento racional de deixar que a pessoa amada siga o seu caminho sem precisar dizer nada...
  45. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 23.3.13 @ 11:42:25

    CAROLINA, grata pelas palavras e ajuda! Foi muito útil aos meus leitores, venha sempre. MAGALI, é difícil sim, pois tudo aquilo que temos que "provar" (mostrar que aprendemos) nos exige esforço... a mulher que outrora desfez-se da maternidade, pode vir a sofrer pela dificuldade de ter filhos, aquele que maltratou animais e sente culpa; pode vir a sofrer ao ver o que hoje se faz com animais; a pessoa que usou mal um amor ou junto a ele viveu o egoísmo, pode vir a sofrer por sua ausência... mas, tudo passa e quando a gente vence, dá um alívio de não ter mais consciência pesada e poder viver aquilo que sonha. SE QUISEREM, conheçam meu blog atual. espiritismosemmelindres.blogspot.com.br Paz, abraços!!
  46. Comment by Luiza — 1.4.13 @ 01:56:54

    Vania Carolina eu agradeço ambas pelas palavras de conforto com relação as minhas dúvidas e angústias eu estava mesmo precisando ouvir palavras que me derecionassem e vocês me deram uma nova luz pra seguir em frente estou freqüentando a federação ampliando meus conhecimentos nos assuntos relacionados ao Espiritismo e finalmente me encontrando . Eu quero agradecer especialmente a voce Vania que tem feito um trabalho maravilhoso com seus blogs ajudando pessoas que como eu precisam de uma direção uma luz ... E voce tem feito isso maravilhosamente parabéns!
  47. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 1.4.13 @ 17:48:40

    Que bom Luiza, que pudemos auxiliá-la de algum modo! É sempre renovador saber que contribuímos com a paz e felicidade de alguém. A vida tem muitos altos e baixos, é preciso estender a mão para o próximo enquanto estamos bem, e mesmo que não seja esse o interesse (pois a caridade verdadeira deve ser feita gratuitamente), é salutar saber que Deus nos retribui a bondade quando nós estamos menos felizes e precisando de um colo, certo? Beijo grande!
  48. Comment by kiki — 8.4.13 @ 21:36:34

    Vânia boa noite! Parabéns pelo lindo texto e sábias palavras, com certeza voce está ajudando a muitas pessoas, sou espírita também e sei quanto é importante auxiliar o próximo com palavras tão timistas e confortantes. O seu texto me fez refletir sobre muitas coisas em minha vida, tentarei ser o mais breve possível: conheci meu 1º amor aos 13 anos de idade, ele era meu melhor amigo e nos dávamos super bem, até que um dia eu falei que gostava dele e o mesmo foi se afastando aos pouquinhos, mas ainda continuou falando comigo, não tão amigos quanto antes, mas sempre por perto, eu mandava muitas cartas apaixonadas e chocolates pra tentar agradar mas não adiantou...levei isso comigo até os meus 18 anos, ele sempre namorava alguém mas nunca dava certo, e eu sempre sozinha até perdermos contato de vez...até que foi quando conheci meu marido, aprendi a amá-lo e respeitá-lo, nos casamos e tivemos uma filha. Hoje estou com 31 anos e fazem exatamente dois anos que eu reencontrei esse amor adolescente pela internet e minha vida está bem confusa. Neste meio tempo ele se casou e se separou, e o pior é que depois de mais de 15 anos eu achei que ele não sentia nada, e em uma de nossas conversas por chat ele veio me falar que gostava de mim mas tinha vergonha de se declarar e que foi muito imaturo em não ter me dado uma chance, e agora fica me rodeando muito, diz que eu não saio da sua cabeça, pior é que ele também não sai da minha. Nunca tivemos nenhum contato a mais além da amizade, sou feliz com meu marido e desejo que ele encontre alguém que o faça feliz como eu sou, mas desde que ele reapareceu é como se eu tivesse deixado algo pendente, não resolvido para trás...será que éramos pra ter vivido algo juntos? Ou será que ainda viveremos? Não sei peço humildemente um conselho pois tem dias que fico completamente triste com essa situação...beijos e desde já muito obrigada!
  49. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 8.4.13 @ 22:36:21

    Kiki, obrigada pelas palavras e confiança de que eu possa, de algum modo, ajudar a raciocinar sua situação. Espero que Deus me ajude nisso. Um dos 10 mandamentos de Moisés diz "não cobiçar a mulher do próximo". Jesus disse "faça ao próximo o que gostaria que te fizessem"... Em outras palavras, quem não deseja que outra mulher/homem cobice e lute pelo nosso companheiro, não devemos permitir que um antigo amor o faça por nós. Conheço várias histórias de pessoas que sentiam amores, que se queriam apesar da impossibilidade do ato lícito, situações afetivas fortes que me foram confidenciadas, e nelas a maioria não teve final feliz. Claro, querida, que pode ser que ambos tenham uma história passada, de outras vidas. Mas Deus nos dá o esquecimento exatamente para conseguirmos começar do zero, fazer diferente, livres das amarras do passado. Porém, por outro lado, é muito mais provável (digo isso pensando em Kardec, que recomendou que antes de concluirmos que algo tenha motivação espiritual, devemos eliminar os aspectos materiais) que seu laço resulte de uma paixão da juventude, marcante como só elas sabem ser. Mesmo que seja de fato um laço passado que se mostra atualmente uma prova, um teste sobre sua fidelidade e a dele, ainda assim você aprendeu a amar seu marido e não deveria (sem riscos de prejuízos futuros à família e relacionamento), alimentar esse outro sentimento. Talvez esse moço esteja carente, pensando que você gostava dele, que se tivesse te dado uma chance a vida dele seria diferente, talvez ele esteja pensando que poderia reviver a oportunidade perdida e não está considerando que no meio disso há uma família, uma outra pessoa, filhos... o que ele pretende, seja por amor ou por tendência psicológica de querer suprir a própria carência, o que ele está fazendo não é correto - tentá-la. Você é casada, no Brasil há divórcio, se o amor por ele for verdadeiro, se quiserem mesmo ficar juntos, há um meio lícito, LEGAL E MORALMENTE para fazê-lo, que é este - ninguém morre por esperar um pouco coisas certas acontecerem. Mas, se ama seu marido e família, ou se seu sentimento pelo rapaz não é maior que as desculpas para a impossibilidade de ficarem licitamente juntos, o melhor é seguir sua vida como está, valorizando-se e aceitando a direção da vida que a afastou dele um dia para te ajudar a viver uma outra bela história, bem como dar direcionamento à vida dele. O meio curativo mais poderoso que Deus nos deu é O TEMPO, que costuma curar feridas e cicatrizar a alma, para que então, com mais equilíbrio, possamos reaproximar daqueles que amamos, sem sofrer. Você sabe que os Espiritismo, como o Cristianismo, jamais apoiaria a precipitação dos sentimentos, pois o que tomamos hoje pelos meios ilícitos, amanhã nos será tirado e com maior dor. Se esse amor não pode ser concretizado, deve ser esquecido, esse vazio que sente pode ser a perspectiva passada e frustrada que você viveu na sua juventude... respeitar o lar que formou por espontânea vontade, com filhos a quem deve que amparar e exemplificar virtudes, é o ideal perante a lei divina (vide em O Evangelho Segundo o Espiritismo, o item "Pecado por pensamento - adultério", que trata dos pensamentos que repercutem nas ações = http://espirito.org.br/portal/codificacao/es/es-08.html#es8a2 ) e lembre que a distância por um tempo é o melhor modo de curar a alma. Eis o que penso a respeito... não significa, é claro, que deva seguir o que disse, mas pense um pouco a respeito, tire suas conclusões e decida se é melhor dormir com o vazio no coração ou com a consciência pesada, pois parece-me que em uma pessoa como você, consciente dos valores espirituais, doeria muito mais esta do que aquele... Espero ter ajudado um pouco, Kiki, muita luz e paz em sua vida!
  50. Comment by Kiki — 9.4.13 @ 14:52:18

    Vânia, muito obrigada pela ajuda! Não sabe o bem que me fez quando li estas palavras e como me ajudou a enxergar as coisas realmente como elas são, pois foi a única pessoa até hoje que me disse o que eu precisava saber, não o que eu "achava" que queria ouvir, achava pois no fundo eu tinha essa mesma resposta - só não sabia. Deus a abençoe muito, e igualmente desejo-lhe toda luz do mundo para que continue a auxiliar as pessoas. Super beijo!!!
  51. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 9.4.13 @ 15:07:04

    Ah, que bom, Kiki, graças a Deus pude contribuir para que descobrisse sua verdade e vontade. Que o Pai te ilumine e a todos que passam por provas semelhantes (não são poucos!). Se quiser, um dia, visite-me no Facebook. Aqui você usou pseudônimo e não acesso seu email, por isso não precisa lá se identificar. www.facebook.com/vaniamv19 Paz e luz a todos!
  52. Comment by Lu — 7.5.13 @ 15:02:13

    Texto muito bem escrito. Parabéns. Me encaixo nos últimos parágrafos. Abri mão do meu amor em beneficio da minha família e da família dele. Me sinto honrada por não ter dado margem ampla ao sentimento de egoísmo e ter decidido partir para as missões que escolhi ou a que fui designada. Força e Luz para todos!
  53. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 8.5.13 @ 09:36:24

    Lu, Deus recompensa os esforços que fazemos na direção do bem e da correção moral. Parabéns e obrigada pela visita!
  54. Comment by Crys — 9.5.13 @ 23:45:06

    Mto reconfortante este texto! Meu primeiro amor, eu me apaixonei desde a primeira vez q o vi.Nosso amor foi mto intenso.Mas não fui embora com ele pq nao quis causar sofrimento aos meus pais.Me casei tive 2 filhos, separei. Ele casou, teve um filho q tem 5 anos e hj acaba de nascer o segundo. Isso me deixou um misto de tristeza profunda.Pensei q a vida sempre iria me fazer reencontrá-lo, como sempre aconteceu. É um amor mto intenso, não sou uma mulher carente psicologicamente para confundir um amor com carencia. É um amor diferente, verdadeiro, eterno. Por mais que eu tente, sei que jamais vou esquecê-lo.Mas vejo que hj, depois de 13 anos eu tenho que entender: acabou.
  55. Comment by Crys — 10.5.13 @ 00:07:11

    **eu quis dizer um misto de tristeza com alegria, pq é uma vida e eu desejo todo o bem a essa criança e por incrível q pareça, meu amor por ele é tão grande q eu fico feliz por ele, ainda q triste. Não tenho mais ctt com ele nem o vejo, mas as notícias vem até mim sem explicação. É por isso q é um amor diferente, pq o amo o suficiente para o desejar o bem a ele e sua familia. Amo-o suficiente para deixa-lo seguir em frente. Essa tristeza acabaria se eu apenas tivesse uma confirmação de q ele tb nao me esqueceu. Ainda q nunca venhamos a voltar...
  56. Comment by Cidoka — 11.5.13 @ 15:56:26

    Boa Trade, vânia!! Por aflição estava na net procurando alguma resposta para meu sentimento frustado e me deparei com o seu site...vou ser breve.. Em 89 eu tinha 15 anos, e coneci um rapaz que mora na rua da minha tia..começamos um relacionamento conturbado devida a não aceitação das famílias...brigávamos muito pq ele tinha ciúmes e eu tbm...porém minha família resolveu aceitar a relação...nesse meio tempo esatva na adolescencia de querer curtir, mas engravidei e houve um aborto do qual levo esse arrependimento até hj e não me perdoou por essa crueldade..pq me envolvi com um cara da qual me arrependo e devido a esse arrependimento quis engravidar desse cara que conheci e me arrependo amargamente por ter dado um Pai como esse para o meu filho, mas sei que fiz para suprir um erro...depois terminei e voltei para o meu amor...ficamos mais 2 anos e terminei por causa do ciúmes e fui curtir a vida...fui conhecendo os meus hj ex...mas nunca conegui esquecê-lo..somente qdo estava no auge da Paixão...e percebi que qdo essa Paixão acabava traia e sempre lembrava dele como até hj. Qdo nos reencontramos nas festa de família ele não para de me olhar mas está casado e quase não fala pq a mulher dele é briguenta então ele evita, mas qdo vou a casa do meu Tio e ele me vê, não para de olhar escondido dos olhares da mulher dele...e então fico assim já se passa 21 anos e nunca esqueci tbm estou em um relacionamento de 6 anos, a pessoa é maravilhoso mas a paixão como os anteriores acabou, e sofro muito por causa desse antigo amor...não tenho culpa de sentir assim só queria uma resposta para tudo isso, o pq não consigo esquecê-lo e concretizar com ninguém. Bjs, Cidoka!!!
  57. Comment by cristiane — 12.5.13 @ 01:30:57

    o amor ele nao se prende, tem gente que acha que tem que prender a outra pessoa ou que tem posse total, tem gente que deixa o egoismo passar na frente a inveja e etc. Gente o amor é um sentimento puro, ninguem deve prender ninguem, se vc tem um amor ajude a ele ou ela se tornarem uma pessoa melhor . nao importa se ele esta longe ou perto ele vai te amar e no tempo que Deus quiser vcs ficaram juntos! e se vc esta vendo que seu amor esta cego por outra pessoa q nao tem nada haver mostre a verdade. e deixe ele voltar com as proprias mala dele pra vc.. ate a sua casa.. ditado ( um bom filho a casa retorna). seu amor tbm. :) NAO TENHA MEDO, AJUDE E FAÇA O BEM.
  58. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 18.5.13 @ 15:45:05

    Crys, boa tarde. Sua frase "Amo-o suficiente para deixa-lo seguir em frente" tranquiliza o suficiente a alma, pois isso é amor real, que liberta. A própria vida os manteve separados, embora vocês tenham tomados decisões que seguiram nessa direção, do que parece que haveria de ser. Ou seja, se espiritualmente amam-se, o afastamento foi necessário para que vivessem outras experiências, tivessem outros amores e, muito provavelmente, para que provassem ser capazes de resistir à tentação de, por sobre os sentimentos e compromissos com terceiros, ficar juntos. Portanto, parabéns pela honestidade e coragem, não se deve fazer ao próximo o que não desejamos para nós. Muitos só percebem isso após ter errado e por isso a dor que sentem é maior do que a dor da separação. Evite isso. Por outro lado, creio que há um equívoco natural na sua explanação... se você soubesse convictamente que ele sente o mesmo que você, não seria nada mais fácil como pensa, sua prova de fidelidade à sua vida e à dele, à família dele, à lei divina, iria ser muito mais difícil. Agradeça a Deus pela dúvida que sente... Se um dia tiverem provado suficientemente que respeitam os limites dos sentimentos alheios e os compromissos com a verdade e a honestidade afetiva, nada impede que a própria vida os reaproxime de um modo absoluto. De qualquer modo, a vida na Terra é efêmera demais para que soframos e joguemos para o alto a certeza do encontro definitivo na vida verdadeira, que é a espiritual. Se não é possível com ele, dê-se a chance de viver um novo sentimento, já que está separada, e dê a ele o tempo para que resolva com a família, na encarnação, todas as coisas que precisa, ficando ambos livres para o futuro, se for mútuo esse amor. Paz!
  59. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 18.5.13 @ 16:01:20

    Cidoka, os afetos nascidos na adolescência costumam ser marcantes, mas não provam ser amor verdadeiro. Você viveu uma experiência que mexeu contigo e toda vez que sente que te falta emoção na vida (o que você chama de paixão), volta para o passado. Não posso te dizer com convicção absoluta, mas me parece que é algo que a terapia psicológica poderia resolver mais do que o Espiritismo, com relação a esse sentimento - entenda bem, a terapia é um instrumento rico para o autoconhecimento, que ajuda que não boicotemos a própria felicidade, pois você diz que já vive há anos com alguém maravilhoso e ainda assim é infeliz por conta de algo que aconteceu há décadas. Quanto ao aborto, que pena que o fez, mas seu arrependimento conta muito para Deus. E embora o que te motivou a ter seu filho não tenha sido o amor, que bom que tem oportunidade de estar ao lado de uma alma que assumiu para guiar e educar com sentimento nobre da maternidade. Dê muita atenção a isso. Voltando ao seu afeto da juventude... da mesma forma que você, outras pessoas sentem esse baque do fim da paixão e a sensação de reviver os sentimentos e experiências costuma mexer com elas. Ou seja, o fato dele te olhar não quer dizer que sinta o mesmo que você, mas que pode estar curtindo uma paquera que costuma trazer emoção à vida. Aliás, cuidado para estimular isso nele e violar os limites do respeito ao seu marido, à esposa dele, tentando uma aproximação infeliz que poderia por a perder sua encarnação, a dele, e destruir duas famílias, pois não há felicidade real se construída em cima da felicidade alheia. Por fim, há algo importante a dizer, a paixão é puramente fisiológica, a ciência já sabe há tempos que é causada por hormônios e dura entre 2 e 7 anos no máximo. Ou seja, toda relação, mesmo a embasada em amor verdadeiro, terá o fim da paixão. Deus fez assim para que nos atraíssemos uns pelos outros para que houvesse aproximação, mas depois permanecêssemos por amizade e amor verdadeiro. Ou seja, se você for ficar com as pessoas só enquanto estiver apaixonada, nunca terá paz, pois a paixão acabará em todos os casos. Pense nisso, ok? Espero ter ajudado... Ore e vigie, Deus ajuda quem se ajuda. Paz!
  60. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 18.5.13 @ 16:03:00

    Cristiane, sua mensagem é correta, não há amor verdadeiro que se enfraqueça só porque existe uma distância temporária entre as pessoas que o sentem. Grata.
  61. Comment by Crys — 18.5.13 @ 22:30:08

    Muitíssimo obrigada por suas palavras! Me trouxeram PAZ! Eu não tinha pensado por esse lado, a respeito de ter certeza dos sentimentos dele. Muito obrigada, mesmo! Esteja sempre com DEUS!
  62. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 18.5.13 @ 22:33:01

    Esteja com DEUS também, Crys! Obrigada, beijo! www.facebook.com/vaniamv19
  63. Comment by maíza botelho — 25.5.13 @ 22:37:55

    Oi vânia querida!mesmo não te conhecendo sinto grande amizade por você, que bom que Deus usa de pessoas como você para confortar e esclarecer tantos corações...Também vivo um momento muito doloroso,meu marido e eu nos amamos muito e tinhamos muitos planos...desde o primeiro instante que eu o vi foi um impacto que bateu tão forte em mim,parecia que o mundo e a vida se resumisse em estarmos juntos...ficamos juntos 11 anos,e ele regressou para o mundo espiritual antes de mim,e ta dificil continuar a caminhada sem ele,sinto imensa saudade e amor...vejo ele algumas vezes em desdobramento sinto seu toque, seu cheiro,conversamos e trocamos carinhos...É muito amor,que nem a morte destruiu,mas mesmo assim o desepero me invade,e acabo perdendo a lucidez...Pois eu não queria fi car longe dele nem um só segundo...me ajude!
  64. Comment by Fernando — 27.5.13 @ 21:14:27

    Olá Vânia! Senti muito conservadorismo em suas palavras, casamentos não são eternos e o amor de um casal pode acabar sem que isto seja necessariamente ruim. Pode ser a oportunidade para encontrar a pessoa certa, talvez o amor de outra vida que é aquele que realmente inspira e nos faz existir em plenitude. Dê uma chance ao amor e tenha menos medo, ok? Abraços
  65. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 13.6.13 @ 10:55:04

    Maíza, querida, grata pelo seu carinho... demorei em responder pois estava em provas na faculdade, perdoe... Olha linda, seu sentimento de saudade e vazio é absolutamente natural, mas você um dom de perceber as visitas de seu amado e ela te reconforta... o que para muitos é apenas uma vontade, o contato, para você é uma realidade. Te faz bem essas memórias de seus desdobramentos? Pois sente o amor e o carinho do esposo, mas depois o vazio pode ser que volte mais intenso... ou não? Se for sim, você pode pedir a Deus que não te deixe recordar, desejando ficará só com a sensação de que está tudo bem e que o viu... não é a toa que o esquecimento do passado e do que fazemos durante a noite de descanso físico são benéficas para a alma. Mas, se você aprecia que assim seja, absorva força desses encontros e viva o melhor, se tais visões te fizerem mal e impedirem sua jornada na Terra, você pode "perder" essa capacidade para seu próprio bem. Faço-me compreender? Tento resumir: você tem um dom que te favorece mais que a outros, mas talvez sofra com ele. Se sofre, pode rogar a Deus que te ajude a esquecer os encontros, pode ser que seja atendida; se não sofre pelo encontros, mas depois dele vive mal pela saudade, então pode perder a capacidade para que não se prejudique (o tempo cura todas as chagas, mas a gente costuma ter que se afastar para conseguir isso, não é fato?)... precisa, a meu ver, tentar colocar seu coraçãozinho nos eixos e entender que teu sofrimento, se impedir que viva como deve ser, pode te afastar do seu amor temporariamente. De qualquer modo, o certo é que continuarão se vendo (ainda que sem memória, como ocorre com a maioria de nós), se amando e que o reencontro entre ambos é questão de tempo, isso sempre acontece quando o amor é real. Use o seu amor e saudade para ajudar quem precisa, cada coração que tocar será o dele que tocará... e quando você partir, estará pronta para ele... Muita luz!
  66. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 13.6.13 @ 11:03:19

    Fernando, olá. Grata pelo comentário. Penso que não me compreendeu muito bem. Num post de internet não é possível abraçar todas as nuances de um assunto, ainda mais quando se trata de sentimentos. Não sou conservadora, apenas escolhi um aspecto dentre muitos a abordar. O amor tem muitas formas, podemos amar uma pessoa a vida toda como companheiro(a) e descobrir, no além, que é um grande amigo (a) e que nosso amor no sentido que mencionamos, é alguém que nem reencarnou conosco. Não há medo implícito no meu texto, mas sim uma abordagem que, parece-me, tem ajudado muitas vezes a avaliarem os próprios sentimentos - basta ler os que me escreveram. Amar, já amei algumas vezes, hoje tenho a honra de ser casada com um marido maravilhoso há 15 anos... cada um tem sua história e só a própria pessoa sabe o que sente de verdade, mas não custa alguém que se sente ok depois de ter superado as dificuldades naturais que sentimentos e transição da juventude para a maturidade causam, possa dar uma força aos que ainda sentem as confusões que o coração causa em suas vidas. certo? Abraço!
  67. Comment by Ulrich — 15.6.13 @ 01:30:04

    Não sei por onde começar. E mesmo q eu ñ tenha resposta alguma vou desabafar. Nunca pensei q eu fosse amar alguém, na verdade o amor para mim sempre foi algo confuso. Por isso o único amor q eu partilhava era o amor p/ c/ a minha família e meus amigos. Eu... sei e ñ sei quem eu sou. Tudo me parecia muito certo antes, agora nada faz tanto sentido assim. Eu conheci aquele a quem amo no ano passado, logo me senti atraída por ele e gradualmente o q sentia por ele foi crescendo. Ficamos juntos esse ano... Era para tudo fluir normalmente. Passados 2 meses de namoro comecei a ter sonhos estranhos, fora daqueles q eu costumava a ter c/ ele quando o conheci. C/ os sonhos veio a angústia, o medo e tudo o q eu já havia sentido antes de conhecê-lo. De súbito mais uma vez um passado volta e uma história q eu desconheço surge simultaneamente. Conversei c/ o meu namorado sobre algumas coisas, especificamente aquilo q se referia a ele (Excluindo o meu passado, pq eu ñ quero q ele saiba de nada disso. É uma vida na melhor das definições, tempestuosa). Para a minha surpresa ele sabia de tudo isso e mais um pouco. Eu ñ pude me conter, quis saber se eu e ele já nos conhecíamos antes. A princípio ele se recusava a me contar qualquer coisa, mas com muita insistência, ele acabou cedendo. De fato já nos conhecemos, mas por alguma razão eu sempre vou embora. Até aí tudo bem... “Legal talvez seja possível essa história de vidas passadas e tudo o mais” assim pensei. Mas me diz, somente humanos tem vidas passadas, não é? Qualquer coisa além disso deve ser loucura. Eu poderia contar minha história ou as coisas q sou capaz de fazer... Mas isso foi o q resolvi deixar p/ trás pq ñ quero machucar mais ninguém. E agora, por alguma razão encontro uma pessoa q sabe tanto quanto eu das coisas e é capaz de sentir aquilo q eu ñ queria q sentisse. Descobri q ele é tão afetado por essa... sei lá... dádiva q tenho e temo q ele se machuque de verdade. Ele me diz q eu o machuco inquirindo dele o passado q tivemos, a verdade e como se ñ bastasse isso, ao me beijar ele sente dor. Porque ele é capaz de sentir o fogo q eu irradio. Para explicar a loucura: eu sempre queimo por dentro quando sinto coisas q estão fora do lugar ou quando tenho algo específico a fazer e nunca ninguém foi capaz de sentir isso e muito menos se ferir c/ isso. O q ele é eu ñ sei.. Depois de tudo o q eu já vi eu ñ duvido de mais nada. Mas ao q parece sempre estivemos juntos e separados ao mesmo tempo. Ele se submete a essa dor p/ ficar comigo. Ele me disse que há muitas pessoas dentro dele e q a dor é distribuída p/ todas elas tornando o sofrimento suportável. Desculpe-me se alguém for ler isso q postei, parece não ter lógica nenhuma e não te condeno por pensar assim – eu mesma não entendo mais nada. Ele me disse q temos mais uma chance e que dessa vez eu não posso cometer o mesmo erro q sempre cometo – parte desse erro é a minha escolha de me afastar dele. Pois bem, não sei de mais nada e espero q algum dia eu possa compreender tudo. Tudo o q sei eu vi em sonhos, eu senti e ele me contou parte disso. Não sei como encontrar respostas. Vania, seu blog é excelente! Muito sucesso aí pra ti. ^_^
  68. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 17.6.13 @ 11:06:09

    Ulrich, bom dia! Muito difícil opinar sobre sua situação... no entanto, ouso tentar dar um ou dois pontos de vista, que, espero, talvez venham a ser úteis. O esquecimento do passado é uma grande benção, e você entende sentindo na própria pele os males que torturam a alma que se recorda... se tivéssemos sido santos, pessoas nobres de alma, ainda assim possivelmente não seria tão bom, recordar que estamos exilados de pessoas e lugares bons que amamos. Enfim, recordar tem gosto ruim quase sempre. Se assim é e Deus permite que ambos recordem parte do seu passado, qual o objetivo? Possivelmente dar-lhes uma chance a mais de fazer diferente. No entanto, se ficarem ambos focados nas memórias, nunca terão recomeço. Se cada vez que seu namorado olha para você pensa que o fez sofrer e sofre ainda, se cada vez que você olha para ele sabe que já partiu e que partirá mais uma vez... para quê lembrar se nada parece que mudará? Meu entendimento é que de ambos tem uma memória que não deveriam ter e que pode ser trabalhada através de terapia, mas uma específica: a terapia de vidas passadas. A TVP trabalha com memórias de outrora, em geral as traz a tona para que sejam compreendidas e então deixadas onde deveriam estar, no passado. A sua vida de hoje não é a de antes, embora você espírito seja a mesma, já mudou, já evoluiu, e o papel que vive hoje ni mundo é outro, porque viver as mesmas sensações? Isso vale para ele também. Muitos espíritas não recomendam a TVP porque desconhecem-na e se limitam a julgar. Eu recomendo porque entendo que se há a terapia é porque pode ser útil se bem usada - eu usei e me foi uma benção. Não vá, e isso é importante, em um terapeuta que faz hipnose e escolha bem um profissional qualificado por longo estudo, não como alguns, que fizeram cursinho de final de semana. Recomendo encontrar um terapeuta na SBTVP - sociedade brasileira de terapia de vidas passadas - cujas pessoas são sérias, minha terapeuta é diretora lá. No mais, saiba que reencarnamos para fazer diferente e se desejamos, vencemos as limitações e impulsos do passado. parem se de olhar como dois cobradores de outras vidas, querem estar juntos, estejam, mas com as pessoas que são HOJE. E lutem pelo amor que sentem, deem-se a chance de confiar. Sinceramente, mesmo que não for pela TVP, vocês precisam de algum tipo de terapia, um tratamento espiritual em uma casa espírita idônea pode fazer muita diferença. Desejo sucesso para ambos, com muita luz divina sobre esse amor. Paz!
  69. Comment by luiza — 17.6.13 @ 23:02:55

    eu as vezes sintor q um primo meu e meu amor de vidas passadas eu sempre tenho aquela vontade de quere ficar perto abraça fala que eu amor que eu ñ sei com aconteçeu isso foi derrepete pareçe que já estava escrito nas estrelaeu amor de mais ele mais ele ñ perçebe nunca vai pcb e ele tem namorada
  70. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 18.6.13 @ 21:16:18

    Luiza, seu primo pode até ser um amor de outrora, ou uma alma-amiga por quem sente muita afinidade e por isso, talvez, com as limitações de encarnada, pensa que afinidade é amor no sentido que idealizamos. O certo é que esse sentimento de alma para alma não se perde, mas na encarnação, para dar certo, precisa ser mútuo, o que você sinaliza que não é... (as vezes as almas se amam, mas não durante a encarnação, pois precisam viver outras experiências)... então, querida, não se prenda a ele se não é recíproco, busque viver a vida pois em geral nós nos comprometemos com as pessoas antes de encarnar, mas para perceber quem elas são precisamos ter o coração e a mente livres... boa sorte!
  71. Comment by Laura — 22.6.13 @ 15:18:48

    Vania! Tantas mensagens e comentários lindos e emocionantes que nem sei como começar. Agradeço a Deus por ter aberto este post e suas palavras. Obrigada! Estava lendo o Evangelho quando decidi procurar na Internet sobre "amores separados". Como todos, tentarei ser breve. Tenho apenas 21 anos. Eu e o meu grande amor acabamos de terminar o relacionamento. Sei que pode parecer fútil, pela minha idade, dizer "meu grande amor". Namoramos por quatro anos, só que diferentemente de qualquer casal jovem que conheço, tivemos uma intensidade e um comprometimento de pessoas casadas. Ele tem três anos a mais que eu. Foi um tipo de casamento em casas separadas, mas, mesmo assim, dormíamos juntos várias vezes na semana, ou na casa dele, ou na minha. Sempre nos divertimos muito, fomos companheiros de viagens, hobbies, de vidas até aqui. Nosso maior problema sempre foi a falta de compreensão e as brigas. Brigas demais. Um esperando demais do outro. Ele nunca me entendeu como "indivíduo", pois tudo que alterasse os planos que ele tinha era motivo de discórdia. Sei que o fim se deu em uma parte considerável pelo jeito dele, "cabeça dura". Obviamente tenho minha parcela de culpa também. Somos duas personalidades fortes que batiam uma contra a outra. Em contrapartida, somos espíritas. Frequentamos o mesmo centro espírita, damos aulas de evangelização infantil para crianças carentes perto da região em que moramos. Acredito que obtivemos um início de vida incrível para seguirmos no caminho do bem. Todavia, a falta de compreensão e as tais brigas nos levaram ao fim. O outro motivo foi um curso que irei fazer no exterior durante poucos meses - ele já tentou, mas não consegue aceitar. E então terminamos. Já havíamos rompido outras vezes, e sempre sofri tanto. Uma dor dilaceradora, que me faz ter dificuldade de respirar, que me corta a alma. É algo horroroso, não consigo encarar a perspectiva de uma vida sem o meu amor. Nem de um momento. Pois nossos momentos bons são as maiores alegrias e sinais da existência de Deus e da espiritualidade que já vivenciei! Sei que dessa vez o término será contínuo, pois já tentei de diversas formas salvar o relacionamento. Explicando que poucos meses fora seriam tão pouco para quem estava há anos juntos, que amor verdadeiro não quebra, e por aí vai. Ele entendia às vezes, mas com ataques de incompreensão voltávamos novamente à estaca zero. A decisão foi conjunta e, diferentemente das últimas vezes em que terminamos, estou bem. Mas a ideia da saudade abre um buraco em mim. Saudade não hoje, mas no futuro - pois eu sei que sentirei a maior saudade da minha vida em relação a ele. Sei que pensarei nele em cada dia em que viver. Não sei porque, mas tenho a intuição de que meu caminho não voltará ao Brasil tão rápido. Também sei que ele terá demoradas lições para aprender sobre o egoísmo. Acredito que não voltaremos a ficar juntos tão rápido, pois precisamos passar por outras lições até o reencontro. Compreendo tudo perfeitamente, mas ter que aceitar com resignação me dói a alma, pois tudo que eu mais queria era que ficássemos juntos desde já - mas compreendo também que ele não consegue. É muito frustrante remar contra a maré do jeito que eu fazia, então resolvi que talvez fosse finalmente a hora de abandonar o barco. Gostaria de te pedir um conselho sobre a saudade e esse desespero que toma conta de mim. Cada acordar faz meu coração acelerar demais, lembrando que não estamos mais juntos e que as vidas tomaram rumos diferentes. Me sinto SUFOCADA. Mando meu amor por meio de orações todos os dias para ele, mas nem assim o desespero vai embora. Cheguei a ter uma experiência tão ruim, em que cada respiração gelava minha cabeça ao lembrar do término. Li comentários emocionantes sobre pessoas que nunca esqueceram seus amores em cima deste, e peço-te ajuda para lidar com a dor. Agradeço desde já a atenção, você escreve coisas tão bonitas e clarificadoras. Me ajudaram em muito a seguir a caminhada. Desculpe, talvez por tomar o seu tempo. Rogo que possa me ajudar. Que Deus nos abençoe sempre, Laura
  72. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 23.6.13 @ 23:05:09

    Laura, querida, grata pelas palavras, espero ajudar um pouquinho pelo menos... Li seus sentimentos de jovem e lembrei de mim mesma quando estava junto ao meu "grande amor", aquele pelo qual eu morreria só de pensar em viver longe. Reconforta-me dizer que, ao contrário, a dor não nos mata (ele que me "amava tanto" terminou comigo, senti muita dor, realmente, a ponto de pensar que morreria de verdade). Só que além de não morrer, vi nascer uma força na alma que fez-me viver para buscar a felicidade que um dia achei estar somente junto àquela pessoa. Demorei a esquecer, foi marcante sim, mas não demorei a voltar a viver. Hoje, muitos e muitos anos depois, digo alegremente que sou uma mulher casada com uma pessoa maravilhosa, que tem um filho quase adolescente e de alma boa, e que não trocaria o que vivo nessa experiência, pelos sonhos que vivi no ontem. Quis começar minhas reflexões dizendo isso, para mostrar a quem tem nos lido, especialmente a você, que não falo a partir de idealismos, sei o que é amor, solidão, abandono, dor física nascida de dor moral, vontade de sumir do mapa de tanta agonia - sentimentos que o tipo de amor que somos capazes de viver na Terra ainda nos causam. Dito isso, que achei relevante agora, creio que você não precisaria de mim nem de ninguém, pois tem as respostas... recebeu uma intuição clara que te prepara para o "longo inverno", após o qual a primavera voltará a colorir sua existência. O amor, dizem, tudo supera e é verdade. Mas, esquecem de dizer que antes de superar, precisa amadurecer. E quando o nosso egoísmo ainda é maior, significa que não há maturidade afetiva ainda suficiente para vencer e superar, é preciso o tempo, a saudade e a distância muitas vezes, para nos fazer crescer. Pelo que expôs, deu-me uma sensação de que você terá esse amor na alma por muito tempo, assim como eu tive o meu, mas que viverá e superará a dor, a saudade, assim como superei. E um dia perceberá que pode amar outra pessoa, sem rejeitar o passado e seu outro amor, pois embora nos relacionamentos terrenos não sejamos capazes de conceber amores diversos, a alma é capaz de amar muitas outras almas com um grande sentimento. Quanto ao seu namorado, que pena que ele não consegue ceder ao próprio egoísmo e orgulho, pois, ainda dentro de sua exposição, parece que são as forças com as quais terá que lutar na existência. Felizmente, querida, ele também tem o instrumento da Doutrina Espírita como fonte de conhecimento e impulsor de mudança. Se a vida de ambos foi feita para a mesma estrada, o tempo que o auxiliará a mudar será o mesmo que o trará de volta. Se não for, viaje com dedicação na sua estrada enquanto ele trilha a dele, pois lá na frente, elas se reencontrarão. Enquanto isso, perdoe-se e perdoe-o por essa incapacidade atual... ore por ele e dê-se a chance de ter o coração aberto, pois o que sabemos sobre o que programamos para o futuro? Eu não sabia que amaria outra vez, não imaginava casar, nunca pensei no filho que seria o meu motivo de existir... Somos tão imediatistas ainda! Parece sem o hoje, não há amanhã. Mas há. E normalmente o amanhã é sempre mais feliz, pois nos amadurecemos assim como os nossos sentimentos. Deus te ampare e te faça viver uma bela experiência de vida na sua jornada ao exterior. Muita luz! Tomara que a tenha ajudado... beijo! www.facebook.com/vaniamv19
  73. Comment by Cidoka — 25.6.13 @ 15:36:55

    Obrigada Vânia pelas palavras, acredito que possa ter razão...pensarei nisso sim com certeza...bjs
  74. Comment by Cidoka — 25.6.13 @ 16:05:43

    Mas Vânia aquele relacionamento de seis anos não é meu marido e sim namorado, srsrs, mas terminei a relação pq de minha parte só tenho amizade...estou na luta em busca de uma grande e sentimento, aquele que me faça esquecer do meu passado de 21 anos atrás e sei que posso, conheci uma pessoa há 1 semana ficamos juntos 3 vezes noite e dia foram intensos, mas ele agora quer se afastar pq tem q se devagar, mas não entendi eu não apressei nada combinei de vê-lo com consentimento dele, acredito que ele está com medo de se apaixonar e sofre decepção...vai entender né!!mas confesso que fiquei chateada por ele dizer isso, eu nunca fiquei assim por algu´me em tão pouco tempo...e conclui que ele vale a pena investir...bjs...realmente seu blog é uma terapia para nós!!!
  75. Comment by Silvana — 26.6.13 @ 00:38:49

    Vania, muito lindo seu texto, estava em busca de algo que me ajudasse a atender o q esta acontecendo na minha vida. Vou contar minha história se vc puder me dar uma ajudinha. Bom conheci um rapaz faz um ano no inicio eu não queria nada dai de tanto ele insistir foi conhecer ele melhor ai começamos um relacionamento foi muitas brigas e voltas ele sempre com suas dúvidas e nunca tinha certeza do que ele queria, no carnaval passamos juntos estava tudo bem mas dai no fim da viagem ele me falou que não tinha certeza do que ele queria, dai eu resolvi terminar cheguei em casa e coloquei um ponto final, mas nunca conseguimos nos desligar ele sempre me ligava e eu acabava cedendo, mas não tinha nos encontrado mais moramos em cidades diferentes, certo dia em casa numa boa ele me ligou que queria me ver dai acabei cedendo fui ver ele, mas não esperava encontrar ele aquele dia, e naquele dia que ficamos engravidei, mas quando falei para ele novamente ele indeciso e não sabia se ficava comigo ou não, fiquei esperando ele decidir dai quando ele decidir ficar com nós, acebei tendo um aborto espontâneo, fiquei muito triste e abalada porque ele fez eu sofrer muito no inicio da minha gravidez, faz 4 dias que isso aconteceu e novamente na hora que mais preciso dele ele me abandonou é muito triste isso, será que eu teria que passar por isso com essa pessoa teria que pagar algum erro da vida passada? será que continuo esperando por ele ou dou um basta final nesse história depois de tanto sofrimento? SE PUDER ME AJUDAR COM SUAS SABIAS PALAVRAS FICAREI GRATA.
  76. Comment by Daiane — 29.6.13 @ 00:34:46

    Olá.. Como vai?.. Maravilhoso o texto.. Era oq faltava pra entender o que senti..! A tres anos.. Conheci um rapaz.. Que no momento em que nossos olhares se cruzaram, meu coracao mudou completamente.. Parecia q nos conheciamos a anos.. Ele ja era casado, e msm assim.. Nos envolvemos.. Por poucos meses.. Mais todos foram de intensa troca de experiencia.. Ele me completava totalmente, eu me afastei, para nao prejudicar ainda mais seu casamento.. Um mes depois ele veio a falecer em um acidente. Senti sua presença espiritual no primeiro mes, e depois nao o senti mais.. Esse texto foi maravilhoso.. Obrigada
  77. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 7.7.13 @ 19:09:59

    Cidoka, olá... grandes amores a gente idealiza, mas como, quando, com quem acontecerão, só Deus sabe. Se em uma semana você sente uma possibilidade afetiva, mas o rapaz já sinaliza que não, como diria minha mãe, "não procure pelo em ovo". O amor é sentimento tão simples, porém o complicamos tanto... príncipes encantados não existem e todas nós que já acreditamos nisso aprendemos mais cedo ou mais tarde que as vezes eles não vem a cavalo. Enfim, não quero desestimulá-la, apenas, sei lá, dizer que quando for "aquele" que você espera, possivelmente haverá uma receptividade maior. Boa sorte, desejo que o encontre logo!
  78. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 7.7.13 @ 19:17:47

    Silvana, querida, sinto muito por seu aborto. Olha, não há como ninguém te dizer o que deve fazer quanto ao seu relacionamento, porém, sugiro algo: releia o seu texto escrito para mim e imagine que é outra pessoa contando. Você diria que esse rapaz é alguém que valoriza o sentimento, o relacionamento, a vida em família? Ele estaria ao lado da mulher grávida ou faria o mesmo que fez com a que perdeu o bebê? Ele ama e parece confuso ou não ama e faz hora enquanto outra paixão não surge? Falei para pensar isso como fosse com outra pessoa pois se conseguir, talvez saiba o que fazer. Estando de fora da sua pele, do seu sentimento, estes questionamentos foram os que me vieram em mente. Particularmente, creio que todo mundo merece que aquele que ama e diz lhe amar, esteja junto quando a outra parte precisa, não só quando é bom para ele, como no sexo, por exemplo. Tenho certeza que teu coração sabe a resposta e seja qual for, será a certa. Quanto a questão de ser de vidas passadas, comum que sejam relacionamentos que voltam a mexer com nossos sentimentos, por isso nos parecem tão complexos. Mas, isso não nos obriga a passar pelo que você tem passado, você tem permitido que ele faça contigo o que quer e depois sofre sozinha. Fica em paz, ore, decida e siga a vida que escolher de um modo completamente dedicado para ser o melhor.
  79. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 7.7.13 @ 19:20:50

    Daiane, pela descrição pode ter sido um grande amor que reencontrou rapidamente. Deveriam ter evitado o romance, mas isso não é uma crítica, tão difícil deixar de ceder ao amor quando reencontrado. Porém, que bom que solucionaram a situação antes do desencarne dele e isso possibilitou o sinal que te deu, de que estava tudo bem e que poderia ter dar esse breve adeus. Espero que encontre outro amor (graças a Deus nosso coração é imenso!) e que esse fique guardado carinhosamente até seu reencontro. Paz!
  80. Comment by Bruno Guimarães — 14.7.13 @ 11:39:31

    Bom dia, Vania. Acabei de conhecer o blog e gostei muito do que vi por aqui. Queria te pedir que desse sua opinião sobre a história da Viviane (Comentário por Viviane — 25.2.13 @ 06:57:39) ,que é muito parecida com a minha. Um grande abraço e desde já obrigado pela atenção.
  81. Comment by Bruno Guimarães — 14.7.13 @ 13:27:13

    Minha história, no que tange a reações e comportamentos meus, é algo parecida com a da Viviane. Conheci uma pessoa mês passado. Descobrimos uma afinidade e sintonia muito grande, o carinho e atenção eram recíprocos, estávamos muito felizes. Um certo dia acabamos brigando por um mal entendido. Esbarrei com a página do facebook do ex dele, cuja foto de capa eram os dois juntos, e a família e conhecidos desse cara (que eu estava, estive, estou, sei lá, conhecendo) curtindo e aplaudindo a homenagem de carinho. Aquilo me desestabilizou, fiquei não apenas muito desconcertado, como triste e estressado, resultado, houve estresse, discutimos. Fiz a minha parte: dia seguinte, em que conversamos, reconheci meu impulso, pedi novamente desculpas pelo excesso, e ao mesmo tempo lembrei que sou humano e que aquilo foi forte demais e que ele se colocasse no meu lugar. Segundo ele, o problema teria sido a discussão. Conversamos numa boa, embora pairasse aquele angustiante ar de dúvida, e combinamos de nos encontrar para conversar no dia seguinte, pois ele disse que precisaria daquela noite e do dia seguinte para pensar. Só que no dia combinado, ele não apareceu e pediu um tempo. Que eu achei que fosse só o fim de semana. Aí desabei, fiquei sem chão, foi o fim de semana, e mais dias e dias de crise de choro compulsivo e angústia. Foi muito cruel, mas por uma semana fiquei quieto na minha,morrendo por dentro, e cheio de vontade de ligar, para que ele não se sentisse pressionado. Liguei enfim, no sábado seguinte e ele respondeu com sms dizendo que estava fora da cidade e me ligaria depois. Mais uma semana se passou,e enfim consegui falar com ele, marcaríamos para a semana seguinte, que foi semana passada, ou no fim de semana, que também já passou. Resultado, resolução até agora pendente. Pode me chamar de louco, lá no fundo eu acredito nele; ele tinha me garantido que não ia se afastar e que não estava fugindo, mas ao mesmo tempo o fato de só eu estar me mobilizando está me ferindo muito, pois o silêncio dele me faz pensar em um milhão de coisas, não sei o que está acontecendo com ele, enfim, ao mesmo tempo em que acredito, desacredito, e essa dúvida torturante está acabando comigo. Quando volto à razão, reconstituindo os fatos, minha conclusão é a de que uma discussão, e motivada por um mal-entendido (pois segundo ele o problema teria sido o atrito) não seria motivo bastante para terminar nosso contato, nossa tentativa. Peguei uma folha de papel, listei e coloquei argumentos, como se estivesse fazendo uma preparação. Só que o que me perturba, não é tanto o questionamento psicológico e emocional. Reconheço que sofro de ansiedade mental e emocional muito grande. Mas desde o início, nossa sintonia e afinidade sempre foram perfeitas. Parecia que o tempo parava, e não existia mais nada. Nossos ideais, crenças, valores, anseios, perfeitamente compatíveis e ressonantes. Nunca alguém mexeu e me correspondeu tanto. Sempre foi recíproco. Só que daquele dia, o mundo caiu, e passei por um desequilíbrio como nunca. Carrego um sentimento de perda e de culpa muito grande. Porque gosto muito dele. Procurei ajuda psicológica, psiquiátrica, e espiritual, em casa em que já trabalhei e à qual sou de certa forma afetivamente ligado. Há o momento afetivo e emocional concreto, fato, mas no atendimento espiritual feito na casa, vim a saber que estive também sob processo obsessivo, de autoria de um inimigo desencarnado que eu ferira em outra vida. Esse espírito foi atendido e encaminhado, mas enfim, continua um problema e um grave desequilíbrio afetivo e emocional instalado. Se parece expiação, não sei, até prefiro nem pensar. Já li muitas coisas e vi muitos videos sobre alma gêmeas, ajudou em alguma coisa, mas nada me tira a forte impressão de que de certa forma, exageros à parte, éramos um para o outro, no sentido de que éramos reciprocamente especiais demais. Tenho constantes recaídas e choro muito sozinho. E não tenho a menor condição de desenvolver e trabalhar minha mediunidade enquanto perdurar esse desequilíbrio. Nada me tira da cabeça que era algo que daria perfeitamente certo não fosse esse ocorrido, e que poderia ser o amor da minha vida. Já me questionei o bastante para saber que não se trata apenas de paixão, porque o sentimento e a afeição que tenho por ele são ímpares. Enfim, não sei mais o que fazer, os dias se passam e isso vai e volta na minha mente e na minha emoção e continuo sofrendo muito. Por essa ligação tão forte que eu tive, e que nunca tive com outros após meses de namoro. Tive muitos e sucessivos insucessos, mas não me abalei pela própria falta de consistência daquelas outras vezes. Mas agora é diferente. Estava dando certo. E desandou, e o que é pior, por ajuda de um inimigo espiritual. Estou fazendo o que o meu coração está mandando: procurar a conversa, o entendimento, a reconciliação. Para que nada fique mal-resolvido, o que aumentaria ainda mais minha angústia,que eu carregaria para toda a vida. Pois tenho certeza de que as minhas intenções são as melhores. Sou verdadeiro no que sinto, e coloco meu sentimento e não o orgulho na frente. Mas enquanto isso, continua esse pesadelo. Nâo sei mais o que fazer. Não sei mais o que pensar. Enquanto meu coração me guia para essa direção, me vejo sem saída. Sou humano e tenho necessidades como humano, procuro conforto, consolação é sempre uma necessidade também, mas humanamente o coração sofre. Estou paralisado. Gostaria muito de ler/"ouvir" a sua palavra sobre tudo isso. Obrigado desde já pela sua paciência e atenção.
  82. Comment by Bruno Guimarães — 14.7.13 @ 18:41:40

    Me sinto como se tivesse perdido aquele amor que só acontece uma vez na vida. Me dói profundamente pensar que tenha sido esse e eu tenha perdido, porque assim o parece. E sabe-se lá quando, agora, talvez nem nessa vida. Nunca tive problema em viver sozinho, mas esse foi especial demais, e ter a sensação de perder isso, e recomeçar do zero quando estava tudo se encaminhando e dando certo, dói demais. Não me conformo. Não me conformarei nunca.
  83. Comment by cida regina ferreira cunha — 22.7.13 @ 11:55:15

    adorei, hoje em especial estava procurando algo diferente e me encontrei.
  84. Comment by NAthalia — 15.8.13 @ 18:10:45

    Você acredita que é possível reconquistar um grande amor? Me separei há meses e queria muito reconquistar meu ex marido.
  85. Comment by Daiane Dias — 17.8.13 @ 19:28:43

    Nossa escutei o que precisava ouvir lá no finalzinho, pq reencontrei meu amor de outras vidas e sabemos disso , nos reencontramos na adolescência, mas nao deu certo e após anos e anos o destino nos fez morar há apenas uma quadra de distância e nos esbarramos , nos olhamos mas como somos casados , seguimos nossos destinos , pq sabemos se não for assim não iremos ter um dia em outro plano a chance de caminhar juntos.. É difícil , mas estamos seguindo sem derramar lagrimas alheias.. Mas em sonhos nos reencontramos e confesso que é algo fora do comum e quando li esse trecho entendi o porque.. Muito bom ler e entender que estamos no caminho certo..
  86. Comment by Cintia — 30.8.13 @ 04:25:29

    Gostaria que a autora esteja ciente do quanto as palavras escritas ajudam às pessoas que estão passando por provações para superar o egoísmo. Eu vivo isso e pelo que li aqui, muitas pessoas também o fazem. Espero de coração que todos sejam bem sucedidas em suas respectivas provações, como eu tenho sido, graças a Deus. As palavras aqui escritas são um remédio para a aflição de quem tenta com muita vontade e amor em Deus viver corretamente em carne e superar sentimentos aos quais possivelmente são provas para alcançar a superação espiritual. Fico muito grata, gostaria que a autora soubesse que hoje meu coração vai dormir mais leve pelas palavras que li aqui, grande caridade me prestou ao escrevê-las. Grande abraço.
  87. Comment by Lucimara — 30.8.13 @ 12:05:49

    Lindo texto, tudo que precisava ler e saber, pois passo por uma situação assim, e é uma sensação de amor e sofrimento ao mesmo tempo, sei que ele é meu amor de fato, mas quando nos encontramos ja estava casada, e mesmo assim fizemos loucuras , cheguei a me separar por 2 vezes mas sempre acontece algo que nos afasta brigas horríveis mas que depois de 1 dia, não gera odio e sim mais amor ainda. Não estamos juntos mas o amo demais e como ele também, mas acho que o momento ainda não chegou, sonho, sinto ele, o cheiro ele me visitando de madrugada para vigiar meu sono, enfim coisas de almas mesmo, vc tem alguma palavra pra mim que me console de ficar longe desse amor eterno. pois sofri demais hoje um pouco menos, mas a saudade é infinita, não passo um minuto sem pensar nele todos os dias 24 horas por dias isto ja dura 4 anos. Obrigada - bjs.
  88. Comment by Lucimara — 30.8.13 @ 17:16:14

    Oi Vania, gostaria muito que responda o meu comentário pois esses dias, ando sofrendo demais, a falta da pessoa chega ame faltar o ar, isso porque teria todos os motivo para odia-lo mas não consigo nem ele a mim. Não nos falamos mais, da ultima vez que nos vimos brigamos e feio, ai ele decidiu seguir a vida dele e eu a minha. o pior ainda é que estou casada, mas não consigo me esquecer um segundo que seja, desde que acordo até a hora de dormir, me da uma palavra de por favor... bjs..
  89. Comment by Meme — 1.9.13 @ 19:05:38

    Vânia, maravilhoso este espaço. Estou muito confusa. Em Outubro de 2011, meu irmão estava internado e em uma visita de um certo amigo, tive a certeza de ter encontrado meu amor de alma. Seu olhar, seu abraço, suas palavras, tudo me parecia familiar. Ele era separado com dois filhos, e nosso relacionamento foi construído com muita ternura, amizade, companheirismo e sobretudo muito amor. Eu tinha uma necessidade imensa em cuidar para que nada de mal acontecesse a ele. Ele sempre me tratou com muito amor e ternura também. Acontece que ele (policial) foi assassinado a 12 dias e minha vida virou de cabeça para baixo. Descobri que ele nunca deixou a esposa, embora morassem em casas separadas. Duas pessoas completamente diferentes, para mim um amor, e para a outra uma péssimo marido, ciumento, violento. Estou me sentindo péssima, traída, dolorida. Essa nao era a pessoa que conhecia. Choro pelo que ele foi para mim, mas nao consigo entender quais foram os reais motivos que fizeram ele levar essas historias. Amor de alma faz isso? Obrigada e um grande beijo
  90. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 6.9.13 @ 08:54:44

    PEÇO A COMPREENSÃO DOS MEUS AMIGOS VIRTUAIS, EM RELAÇÃO AO TEMPO QUE LEVO PARA RESPONDER AOS COMENTÁRIOS. Estou em uma época bastante conturbada, pois sou estudante de Direito, estagiária da Defensoria Pública, esposa, mãe, dona de casa, palestrante espírita, enfim, quanto mais perto chego do final da faculdade (formo em 2014), mais raro tem sido o meu tempo para a internet. MESMO ASSIM, NÃO DEIXO OS AMIGOS SEM RESPOSTA. Por favor, tenham um pouquinho de paciência comigo, pois estou com todas as mensagens pendentes na fila de respostas, pela ordem em que as recebi. IMENSO ABRAÇO, de paz, a todos!
  91. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 6.9.13 @ 09:05:48

    VIVIANE, triste a sua história... como saber o que nos liga tão fortemente a alguém que não nos retribui? Tanto o amor quanto a paixão criam laços como os que contou. No entanto, parece-me bastante óbvio que seu laço com o rapaz que faleceu tenha nascido no passado. Só que também obviamente, não era para vocês ficarem juntos dessa vez. Talvez (quem sabe?) ele sentisse algo forte por você, mas uma voz interna lhe dizia "que não era para ser"... e não foi, pois o tempo de vida dele aqui era curto. O amor que sentimos nunca se perde, o fato é que ele sempre recebeu sua energia amorosa e ainda recebe. Se não posso sugerir nada em relação ao passado, posso em relação ao presente: ame-o como um ser querido que m dia verá de novo e até lá viva o melhor possível; não entrave sua vida por um relacionamento que não se confirmou nem permaneceu; sente saudade? ore por ele, a prece é ponte que leva as palavras e sentimentos aos afetos distantes. Mas nunca o questione, não diga coisas que o façam, sentir culpa pela sua dor, pois seja qual for o sentimento que ele carregava no peito, ele não era obrigado a ficar contigo... as pessoas agem por escolha (livre-arbítrio), mas também seguindo um certo "instinto", uma intuição, melhor dizendo, que as leva para as estradas que precisam trilhar. A sua não estava com ele e a dele não estava aqui. Amor, repito, não se perde, é sentimento permanente e nobre, que liberta, compreende, aceita. Tenha em mente que Deus sabe o que faz, a proximidade do hoje poderia ter acarretado males imprevistos e irremediáveis para a vida de ambos, talvez você estivesse com ele quando foi assassinado e com isso sua própria vida na Terra, sua missão, seus planos pré encarnatórios fossem comprometidos. Entende que há um sentido, ainda que não o vejamos? Pois Deus é justo e suas ações e permissões só podem ser justas também. PERDOE a demora na resposta, imenso abraço, paz!
  92. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 6.9.13 @ 11:12:58

    BRUNO GUIMARÃES, oi amigo. Li e reli várias vezes o seu relato e espero ter condições de ajudá-lo de algum modo... primeiramente não descarto que o laço seu com o rapaz seja de outras vidas, pela força com que te tomou o coração. Mas, há de convir, a paixão faz a mesma coisa, ou melhor, a paixão faz alucinar enquanto o amor é calmo e sóbrio, sabe esperar e compreende. Veja, você conta que fazia só um mês que conhecia o rapaz e já estava sofrendo quando me escreveu, como se tivesse vivido com ele por anos a fio. Isso, sem descartar o amor, é claro, é também sinal de paixão, e esta tem caráter muito fisiológico, motivado por hormônios (se não me equivoco) e dura por poucos anos. Perceba que não estou desfazendo dos seus sentimentos e sofrimentos, apenas tentando pensar nas motivações do que te aconteceu. Bem, então você relata um relacionamento novo, que AOS TEUS OLHOS parecia perfeito, e que AOS TEUS OLHOS, parecia que daria certo. Mas, para complicar a situação, você teve uma crise de ciúme, pois só isso para explicar porque brigou com ele por uma coisa como descreveu e em relacionamento tão recente. Uma coisa que aprendi faz tempo é evitar xeretar na vida de quem amo, a gente sempre vai achar algo que incomode o ego e nem tudo tem maldade. Veja... mesmo que vocês fossem amores antigos, de outras vidas, aqui são pessoas em roupagem física nova, conhecendo-se de novo, sem memórias claras do passado, mas com a intuição dos erros que lá atrás cometeram. SE, é uma hipótese, no passado já se relacionaram e lá vocês viveram alguma desgraça gerada por ciúme (muito comum ocorrer isso), ao viver no mês passado a sua crise, gerando um atrito no relacionamento recente, ele pode ter INTUÍDO o passado, percebido que você não mudou, temido reviver o que outrora passou e desejou, sem consciência racional dos motivos, afastar-se de você antes que fosse tarde e tudo voltasse a acontecer. Concorda que isso seria plausível? Outra coisa que acho importante mencionar: todos temos desafetos espirituais do passado a tentar nos corromper ou prejudicar; mas todos temos espíritos amigos que nos auxiliam nas boas decisões e no encorajamento para vencer os impulsos negativos da alma. escutamos quem desejamos. Por mais que você tivesse ao seu lado um desafeto a te atrapalhar, o único trabalho dele foi te cutucar imperfeições que você ainda possui, alimenta e dá guarida, ou seja, a culpa dele se limita ao ódio que sente por você, mas a você compete toda a responsabilidade de ter reagido como ele pretendia. Sim, estou dizendo que não deve perder tempo culpando o espírito, mas focar em analisar suas reações, imperfeições e conduta, para que teu anjo consiga te ajudar através da sua vigilância. Olha, imagino que espere ler de mim palavras de incentivo, um raio de esperança para o seu relacionamento, palavras que não sei como dar, pois não podemos adivinhar o que passa no coração alheio. Mas, creio me ser lícito dizer que se teu sentimento por ele permanece, que urge tentar mudar a sua forma de ser para não deixar que o desequilíbrio afetivo, emocional, te destruam as possibilidades de reatar - e até de ter outros relacionamentos, se este for inviável. Um amor verdadeiro sabe esperar. Talvez você precise conquistar espaço para reaproximar-se como amigo, podendo sinalizar que gosta dele, mas sem de modo algum fazer cobranças. E tornando-se amigo, passar a compartilhar do que ele pensa, sente, conhecê-lo NESTA vida, ter convicção dos seus sentimentos e sondar os dele (óbvio que isso pode te acarretar alguma dor, se ele sair com outras pessoas, precisa estar ciente desse risco). Então, se ele te retribui mas teme, ao ver que você se controla, respeita-o, confia nele, pode ser que te dê nova chance de viver essa experiência, que veja que mudou e dê a ambos a oportunidade de relacionarem-se sem cobranças e de modo maduro. É terrível viver com alguém que sob a desculpa do ciúme, desconfia de nós, vê em cada ação algo que não existe, acha, no fundo de tudo, que somos desonestos. O ciúme, a meu ver, é muito menos amor e muito mais desrespeito, e é um veneno para todos os tipos de relações humanas. Desejo de verdade que minhas palavras, palavras de um ser humano falível e imperfeito que sou, mas com muita vontade de ajudar, te sejam úteis de algum modo,. Não tenho a pretensão de ter acertado tudo, mas se te ajudo a ver a sua situação com novos olhos e renovada coragem, isso é o que peço e agradeço a Deus. Imenso abraço, paz!
  93. Comment by Meme — 6.9.13 @ 12:37:04

    Vânia, Muito obrigada. Voce é maravilhosa. Deus te abençoe sempre. Bjo
  94. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 10.9.13 @ 21:36:34

    CIDA REGINA, que bom que foi aqui que encontrou o que buscava, grande abraço, paz! NATHÁLIA, esse reconquistar, parece-me não é ao "amor", mas à confiança, interesse da pessoa amada. Amor de verdade, creio, pode adormecer, mas não morre. Com o tempo, com a vida que levam, as pessoas mudam. Ao mudar, as vezes nascem diferenças e com estas as incompatibilidades (por despreparo nosso, de lidar com o outro como ele é, não como queremos que seja). Sendo assim, muitos relacionamentos de amor acabam como se fosse o amor que acabasse, não como se fôssemos incapazes de aceitar o outro como é - e esse é o ponto. Não sei os motivos que levaram ao fim do casamento, não vem a caso, mas penso que se vocês se amavam, foram felizes juntos, se havia um grau de amizade e respeito, um tanto de diálogo, é possível que o reconquiste - reconquistar é diferente de impor o seu amor a ele, caso ele não queira mais o relacionamento, certo? Mas, terá que analisar antes os motivos do fim e ai pensar se vale a pena, se será o melhor para ambos. Boa sorte para ambos!!! DAIANE DIAS, parabéns pela coragem dos dois em resistir às tentações do amor carnal. Como pode ver, o amor real não só é forte para vencer as tentações, como ainda mantém um contado espiritual sem violar os compromissos materiais. Nem todos conseguem ver isso antes que seja tarde, mas se conseguirem, o que dói hoje será menor sempre do que o que doeria se errassem. Muita força e luz ai!
  95. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 10.9.13 @ 22:10:18

    CINTIA, caridade foi sua em incentivar-me a continuar tentando ajudar meu próximo. Eu nunca imaginei que este post tivesse a repercussão que tem, que tanta gente sofresse por amor. Sempre agradeço a Deus quando uma alma é consolada por algo que eu disse e que foi pensando em seguir o que Deus queria que eu falasse. Obrigada mesmo. Paz para ti! LUCIMARA, querida, certa vez me disseram algo que não esqueci, não foram estas as palavras, mas o sentido é esse: se fizer doer não é o melhor caminho. Aqui na página deste post, muita gente manifestou sofrer por amor. Alguns estão felizes a seu modo, superando a distância, outros lutando por conseguir isso, a distância, pois a proximidade não fez feliz, outros, querendo morrer porque não deu certo ficar junto. O fato é que em comum vemos que todos anseiam a felicidade e veem a felicidade em alguém, quando ela não está lá, está em nós. Alguns amigos que escreveram estavam infelizes ao lado de alguém que queriam estar. O que pode significar? Quando a vida dificulta algo, duas podem ser as motivações: OU não é para ser, OU é para testar a coragem e a persistência. Como saber? Penso que se a gente luta para conseguir e tudo dá sempre errado, gera mais desconforto e dor, causa feridas em outras pessoas a quem devemos respeito, então não é o caminho. Por outro lado, aquilo que é para ser conquistado pela dedicação e coragem, vai ficando milimetricamente mais perto com nosso sacrifício. Se pensar bem, se imaginar sua vida fora do lar atual, longe do marido, da família, se imaginasse poder seguir para longe com esse "amor" ansiado, poderá vislumbrar se haveria nisso felicidade? Ouso dizer que não veria assim. Você quer uma palavra que lhe console, mas que palavra pode curar uma dor como a sua? Minha experiência de vida e de observação, diz que quando o amor machuca não está no tempo de colher, assim como uma fruta verde é amarga e amarra a boca, não deve ser comida antes de amadurecer... se eu pudesse te dar um conselho, se conselho fosse bom, diria para olhar de novo para o seu marido, nem que seja como amigo e companheiro de jornada, tentar ver o melhor na vida que tem e deixar ao tempo que aproxime definitivamente a vocês dois. Mas, se não quer mais investir nesse casamento, se quer mesmo o outro rapaz, então tome a atitude mais correta, de fazer as coisas às claras... muitas pessoas escondem seu afeto por terceiros com N justificativas, mas a principal e nunca mencionada é que ambos não lutam o bastante para assumir uma relação clara e lícita perante o mundo... será isso amor? Espero ter te ajudado de algum modo... acredite, machucados deixam cicatrizes, mas nem por isso deixam de curar. Boa sorte.
  96. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 10.9.13 @ 22:22:16

    MEME, obrigada pelo elogio ao blog, grata mesmo. Triste sua história, faz pensar em tanta coisa... dá para notar que cada pessoa tem virtudes e defeitos e que os mostra conforme esteja precisando ou podendo. Real e infelizmente esse moço traiu a ambas, a esposa e você, e pior para ela, a quem ele mostrou o lado ruim. Certamente isso expressa que ele tinha um carinho verdadeiro por você, considere um consolo esse, pois ele te dedicou tempo e amor. Mas, da mesma forma, esse comportamento mostra que ele não estava maduro o bastante (como mencionei acima, para Lucimara), para assumir um relacionamento lícito e nobre com ninguém. Os motivos dele não importam, importa saber que ele fez o que podia, como podia, como imaginava que poderia fazer, e que os enganos que cometeu serão espinho até que ele cure as feridas que abriu, o que só um dia fará, pois hoje está longe de ambas. Se você estivesse na pele na esposa, eu te diria coisas parecidas, mas não seria fácil consolá-la, pois ela conheceu o pior dele. Mas você, querida, viu o melhor então foque nisso e perdoe o resto. Seu sofrimento soma-se à mágoa e talvez rancor da esposa e deve chegar como dardos em cima dele, onde ele estiver... e tendo morrido de forma brutal, talvez sinta-se confuso, temeroso, enlouquecido por não saber o que aconteceu e sentir energias desequilibradas em sua direção. O fato é que esse amor foi embora e seja qual forem os motivos dele, você ainda foi feliz, então seja grata por isso, ore por ele, perdoe, faça-o entender que errou sem culpá-lo, isso através de preces a Deus que ele receberá. S conseguir fazer isso, o libertará, se libertará e terá novas chances de encontrar a felicidade, seja em outro relacionamento ou não. Te desejo isso. Paz.
  97. Comment by Meme — 10.9.13 @ 23:05:12

    Vânia, muito obrigada. Suas palavras me consolam e me fazem perceber e quão egoísta é o meu pensamento. Reconhecer isso já me acalma o coração. Que Deus abençoe muito vc.bjo grande
  98. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 10.9.13 @ 23:21:30

    Deus te abençoe também, que Ele te traga paz. Obrigada...
  99. Comment by Lucimara — 18.9.13 @ 17:19:22

    Boa Tarde Vania!!!! Obrigada pelas suas palavras, que de fato é o que eu precisava ler o que eu já sabia mas não conseguia compreender .... ou aceitar.. Tem dias que fico com muita ansiedade, saudades demais, mas com o passar vou tentando me controlar e ver o outro lado de como seria. Nossa te agradeço muito por arrumar um tempo e me dar uma palavra, palavra essa que pra mim será muito importante. Te faço uma pergunta Vania, como saberei se esse "amor" é a minha alma gêmea, amor de outras vidas? Um grande abraço...
  100. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 19.9.13 @ 09:12:05

    LUCIMARA, fico feliz por ter falado as coisas certas e que vá pensar a respeito. Deus te fortaleça nessa hora de decisão. Quanto a sua pergunta, se "esse" amor (ou outro amor) será sua alma gêmea, entendo não ser possível saber. Primeiro porque já expliquei o conceito de alma gêmea, não somos metade de ninguém, o amor é uma construção. Segundo, porque confundimos amor com paixão e esta tem muitos hormônios como impulsores... Por fim, porque Deus coloca no nosso caminho, pela paixão e amizade, até mesmo pela necessidade, pessoas com as quais devemos nos acertar, a atração serve para que nos aproximemos de quem antes, de outro modo, jamais iriamos querer estar perto - já viu quantos "amores" acabam em crimes? Seria amor? Ou seria ódio, mágoa, rancor de outras vidas que foi disfarçado pela paixão, para dar tempo que conhecemos melhor as outras pessoas e dar-lhes a chance de provarem que não mais cometem os erros de outrora? Enfim, não se preocupe tanto com o que deve ser, mas com o que pode ser... no seu caso, sua vida como está hoje PODE VIR A SER uma vida de compromissos, amizade, respeito e o fim de mágoas antigas entre duas almas ligadas - e obviamente falo do seu real compromisso da existência, que possui agora. O resto, o tempo dirá. Se cuida, abraço. Paz.
  101. Comment by Diana — 18.10.13 @ 07:54:27

    Olá Vânia. Seria muito importante se pudesse me orientar. Conheci um rapaz há mais ou menos 15 anos na escola. Ele era delicado comigo e isso fez com que me apaixonasse em pouco tempo. Ele demostrava grande interesse, mas como eu era mt tímida e inexperiente ( nunca tinha namorado, era muito infantil ainda), fingia não me importar. Só que o sentimento tornav-se cada vez maior. Um dia, ao chegar na escola ouvi os colegas comentando que ele tinha uma noiva. Depois, soube que se tratava de uma namorada que tinha engravidado .
  102. Comment by Diana — 18.10.13 @ 08:56:04

    Desculpe Vânia! Não vou proseguir contando a história que, como disse durou 15 anos por pura falta de coragem. Continuarei lendo seus escritos afim de.encontrar força e a orientação necessária para seguir em frente. É mt difícil pra mim esse tipo de exposição, mas fico mt agradecida pelo espaço que tive pela sua atenção. Me desculpe mesmo e mais uma vez obrigada. Um forte abraço.
  103. Comment by carla — 18.10.13 @ 16:21:50

    boa tarde vania em busca de me aprofundar mais sobre espiritismo acabei ti encontrando eu vivo com algo que eu preciso falar e me senti a vontade para me expor com voçê no meu caso eu conheci um rapaz e começamos a namorar foram 5 anos perfeitos derrepente ele mudou e disse que queria um tempo pois estavamos bigando muito contra a minha vontade nos, nos separamos fiquei depressiva e acabei indo atrás de fentiçaria com o tempo fui descobrir que ele tinha si envolvido com uma menina quase 15 anos mais nova que ele, ela o envolveu e ele ficou apaixonado e ela foi um dos motivos da nossa separação não sei bem o que aconteceu com ele naquela epoca ele caiu numa droga,numa bebedeira atê hoje convivo com isso será que ele caiu nas drogas e tudo mais porque seria um amor não correspondido, ou porque viu o que ele fez com nossas vidas pois estavamos com a casa quase pronta prá casar ou si foi a macumba que eu fiz? depois de um tempo ele foi embora prá outro estado de lá ele me procuro conversamos e voltamos hojê com tudo vai fazer 9 anos que estamos juntos mas minha vida com ele nunca mais foi a mesma ele bebe,cheira ultimamente tranquei a faculdade pois tenho medo dele me trair ainda não moramos juntos mas tenho pagado as dividas dele brigamos muito por ciumes meu ele não consegue arrumar serviço fiz uns curriculos prá ele no escritório onde trabalho na hora de imprimir a maquina quebrou me ajude estou sem direçaõ fui procurar um pastor pois achei que tudo isso tinha haver com a macumba que tinha feito, ele me disse que si eu me arrependi Deus me perdou olha vania não vo negar sou uma pessoa dificil, ruim de coraçaõ hoje sou uma pessoa sem sonhos sem fê.....obs ele naõ sabe o que eu fiz.
  104. Comment by Nai — 20.10.13 @ 20:44:24

    Boa noite! Na verdade eu gostaria de fazer uma pergunta, e adoraria ter uma resposta sua. Conheci mais afundo, o espiritismo há pouco tempo. E ainda tenho uma dúvida. Porque uma pessoa ama muito uma pessoa e não é correspondida? Pode uma alma só amar tanto e outra não?
  105. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 28.10.13 @ 20:21:14

    DIANA, entendo perfeitamente que embora eu não saiba nem precise saber quem é que me procura, talvez escrever publicamente sua história possa constrangê-la ou deixar insegura. Fique tranquila, compreendo que não queira falar mais, portanto. Porém, se apenas isso, a publicidade, lhe impede, mas ainda gostaria de uma opinião, pode me procurar no Facebook e deixar mensagem privada nem precisa me adicionar se não desejar. Eu posso até demorar uns dias para responder, mas sempre comento algo, orando a Deus para serem úteis os meus pensamentos. Boa sorte, paz. www.facebook.com/vaniamv19
  106. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 28.10.13 @ 20:37:54

    CARLA, que situação difícil você se envolveu... quando a gente força a vida, o retorno que ela nos dá costuma ser amargo. Como você forçou? Com a macumba. Sem dúvida você encontrará espíritas - e com toda razão - dizerem que macumba não funciona, mas o que funciona são as nossas intenções, pensamentos e desejos. PERCEBA que o que vou dizer são hipóteses, pois não temos como saber a verdade, só Deus.. mas parece que quando você pagou para alguém para trazê-lo de volta, você se vinculou a espíritos inferiores que não se importam em violar o livre-arbítrio alheio. Por seu companheiro à época ser invigilante espiritualmente, captou certamente as vibrações, e ainda que tenha demorado para ficar contigo, pode ter se associado também aos espíritos inferiores que foram "contratados" por você. Se tivesse seguido a vida como era para ser, talvez um dia ele te procurasse voluntariamente e fossem felizes; ou talvez nunca mais soubesse dele e encontrasse outra pessoa que te fizesse feliz. Seja o que for, com ou sem influência espiritual, fato é que você teve a intenção (que vale muito) de obrigá-lo a te amar e agora tem que cuidar dele pois ele está ai, ao teu lado como você queria. Você vive uma escravidão auto-imposta, trancar a faculdade com medo de que ele te traia prova que não há confiança alguma nele, você vive pronta para o pior tentando evitar que aconteça, acha que é questão de tempo ou oportunidade, a qual evita dar.. sinto dizer que você deixar de viver, evoluir, crescer em conhecimento, não o impedirá se ele quiser realmente traí-la, se ele não te amar de verdade. Penso que o ideal é você começar a fazer a estrada inversa à que trilhou. Como??? Antes você procurou forças espirituais inferiores para ter o que queria, procure agora forças espirituais superiores para te ajudarem a consertar o estrago espiritual que criou para si: vá ao centro espírita, ouça palestras, tome passes, estude um pouco as consequências do livre-arbítrio. Por outro lado, o sonho do amor perfeito se esvaiu, porém não é tarde para começar a amar fraternalmente o companheiro de alma viciada e doente, que abusa da sua dependência em relação a ele: ore por ele todo dia, compreenda, tolere, sinta comiseração, isso tudo com relação aos sentimentos, pois é claro que ser bom não significa ter que aceitar apanhar, ser abusada ou qualquer coisa parecida. Por fim, questione-se se o ama mesmo, se valeu a pena tudo o que fez, e conclua sozinha o que tento dizer agora, não vale nunca a pena forçar o "amor" pois amor verdadeiro vem e se mantém por sua própria força, não porque o desejamos. Lembre do "orar e vigiar" do Cristo, em todos os seus atos e pensamentos, para que seu mentor espiritual possa te ajudar. Boa sorte.
  107. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 28.10.13 @ 20:49:18

    NAI, não tenho como te dar uma resposta absoluta para sua pergunta, pois existem vários tipos de "amor" aqui na Terra embora o AMOR seja um só. Podemos sentir paixão pensando ser amor, podemos amar por sentir sintonia, afinidade espiritual e com isso confundir o amor que existiu em outra vida por um filho, por exemplo, com sua alma reencarnada como um amigo, um primo, um colega... há tantas possibilidades! Entendo que seja qual for a razão, o amor é sentimento que nos educa para libertar o outro, pois o maior perigo é violar o livre-arbítrio alheio querendo que esteja conosco para a nossa felicidade - um amor, esse, que mostra que pensamos mais em nós mesmos. Conheço a história de uma pessoa que, ao conhecer outra bem mais jovem, achou que a amava e queria muito protegê-la, inclusive financeiramente. E, de alma confusa, socorreu-se no Espiritismo, pois além de não ser recíproco o sentimento, ambas as pessoas eram comprometidas. Descobriu que noutra vida foi parente da pessoa que agora "amava" pensando ser sexualmente, e que tinha visto tal pessoa morrer sem auxílio, por isso o seu "amor" se expressava numa imensa vontade de proteger a outra parte. Descobrindo isso de modo natural, o sentimento mudou para amor fraternal e ela, pessoa, curou-se do "amor" que sentia e não era recíproco. Nem todo caso será igual, claro, mas esse raciocínio pode dar uma ideia de quanto somos complexos e precisamos nos conhecer bem para saber ler a própria alma, conhecendo as motivações que temos para tudo. Abraço, espero ter ajudado de algum modo.
  108. Comment by murilo — 2.11.13 @ 16:09:57

    Se você tem um desejo, repita-o para você mesmo (Venha cá ANJO DE LUZ eu te INVOCO para que Desenterre sw de onde estiver ou com quem estiver e faça ele ME telefonar ainda hoje, Apaixonado e Arrependido, desenterre tudo que esta impedindo que sw venha para MIM , afaste todas aquelas que tem contribuído para o nosso afastamento e que ele sw não pense mais nas outras… mas somente em MIM. Que ele ME telefone e ME AME. Agradeço por este seu misterioso poder que sempre dá certo. Amém…).
  109. Comment by carla — 7.11.13 @ 10:18:13

    Me perdoe o incomado mas fiquei desesperada moro numa cidade que sou muito conhecida pois trabalho num escritório de advocacia de nome na cidade como posso procurar ajuda sem receio? pois temo os comentários, devo deixa-ló? sei que depois do que fiz nunca mais consiguirei viver em paz sei que preciso de ajuda pois o pensamento suicida têm sido constante, naõ sei por onde começar vania quando arrependemos de coração Deus perdoa não é?é porque não tenho paz? ti agradeço desde já.
  110. Comment by carla — 7.11.13 @ 13:32:00

    olá mais uma vez aqui me desculpe mas eu me lembrei que quando fui atraz de fentiçaria ele não voltou prá mim,foi prá mais longe, viajo para o paraná dai foi quando eu entrei em desespero pedi perdão prá Deus e comecei uma campanha de meses ia na igreja todos os domingos e quando terminei a campanha ele me ligo me desculpa vania mas estou um tanto pertubada com isso.
  111. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 7.11.13 @ 20:04:14

    CARLA, as coisas que pergunta dependem só de você, ninguém tem direito, ou pelo menos não o dirão sem acarretar responsabilidades pessoais, de te imporem o que você deve fazer. Pense... deixá-lo vai ajudar em que? Ficar vai ajudar em que? Você se comprometeu com ele, não é obrigada a ficar eternamente, mas os motivos que te afastariam seriam os corretos, os justos? Não sei bem quanto impacta na vida pessoal, as atitudes e escolhas que fazemos quando moramos em cidade pequena. Mas, quando se trata de fazer o certo, digamos, ir ao centro espírita, sabendo que o espiritismo é doutrina séria e cristã que não se sujeita a trabalhos nem macumbas, mas que pela ignorância ainda é julgado com engano, pode ter um preço mas ele vale a pena. Porque recear do que é bom? Poderia também procurar a igreja, se te faz bem, o importante é refazer a a rota para a alma se voltar a Deus. Seu arrependimento já é um passo nessa direção. Procure dar o seu melhor a ele, você o amava, ou ama, cuide dele em nome desse sentimento. Continue orando, mantendo o foco no bem, não viva de arrependimento, use o arrependimento para agir diferente, esse é o segredo. Paz!
  112. Comment by Luiza — 26.11.13 @ 09:38:38

    Bom Dia Vania, não soou seguidora nem estudiosa da doutrina espirita, mas meu namorado tem estudado e durante nossas conversas, estavamos conversando sobre o amor verdadeiro, entre um homem e uma mulher, e eu ainda fiquei confusa com relação a algumas coisas. Por exemplo, nós nos conhecemos a dois anos, moramos e moravamos em cidades diferentes, e bastou um olhar pra que um sentimento muito especial surgisse (ou fosse reconhecido), durante quase dois anos depois nos tornamos muito amigos, e a sensação que eu tenho é que faz bem mais que dois anos, a um ano atrás começamos a namorar, temos muitas dificuldades, não conseguimos nos ver frequentemente, minha Mãe ainda não aceitou o namoro e sempre temos alguns limitadores, temos que conviver com a saudade e etc. Mas mesmo com tudo isso, o sentimento é muito especial e sentimos que é amor de verdade sabe? Mas ai quando comecei a perguntar sobre esse assunto, e até mesmo lendo seu texto, sobre encarnações e as outras vidas, como ele acontece na vida espiritual? se eu posso ter vivido outras vidas e sentido algo como esse amor, namorado, casado, filhos, envelhecer juntos? como isso acontece depois na vida espiritual? Porque hoje eu sei que nosso amor é verdadeiro, e me sinto muito bem com ele, mas e se na outra encarnação eu viver o mesmo sentimento ou até mais com outra pessoa? Obrigada1
  113. Comment by Camila Silva — 26.11.13 @ 14:38:45

    Boa tarde Vânia! Nao sou spirita, mas ha pouco menos de dois meses, comecei a me relacionar com um homem q e espirita, tenho a sensacao q o conheco da vida tda e em determinados lugares q fomos juntos tive a impressao q ja estive com ele naquele lugar, porem nunk tive. Tenho mto medo de sofrer pois fui casada duas veses e das duas em relacionamentos frustrados, qd estou com ele e mto bom. Nas ultimas duas veses q saimos juntos ele teve contato com seu guia de luz, fikei um pouco assustada, e ele me disse q o guia de luz estava me aceitando na vida dele, e que gosta de mim e q ele pode confiar em mim. Confesso q mesmo assustada gostei. Minha duvida, exite mesmo amor do passado? E guia de luz? Desde entao passei a me interessar mto neste assunto e a cada dia q passa me encanto mais com a doutrina espirita.
  114. Comment by paula — 26.11.13 @ 16:00:45

    boa tarde vania...espero que possa me ajudar como na minha visão o amor não é soh o relacionamento entre homem e mulher e sim ao próximo eu não consigo entender como a presença da minha sogra me encomoda ela me trata super bem, sempre atenciosa o sentimento que tenho por ela e nojo sei lah como explicar isso não fico perto dela por muito tempo meu namorado já percebeu mas faz vista grossa e o pior que eu estou na familia já 7 anos no começo eu achava que era ciumes que eu tinha dela mas não pois ele passa mais tempo comigo do que na casa dele por favor me ajude a compreender pois me sinto mal com esse sentimento...
  115. Comment by Bianca — 1.12.13 @ 13:18:00

    Bom dia, Vânia. Gostaria de desabafar sobre meus padecimentos afetivos e pedir, gentilmente, que me aconselhe a respeito, pois preciso muito encontrar consolação diante do sofrimentos pelos quais estou passando. Sou casada há mais de três anos, porém meu casamento, que parecia estar indo muito bem, começou a se desgastar de um ano para cá. Meu marido continua me amando e me tratando com respeito, mas de minha parte os sentimentos por ele se transformaram em um carinho de irmã. Inclusive, não temos mais intimidade há muito tempo, e honestamente não consigo mais sentir atração sexual por ele. Até mesmo os nossos beijos são apenas selinhos, e normalmente tenho que fazer um grande esforço para conseguir dar-lhe sequer um beijo. Venho pensando em separar-me há muito tempo, mas sinto uma enorme culpa por saber que, se o fizer, ele sofrerá muito com isso. E, assim, temos sustentado um casamento que não sei mais até que ponto fará sentido. E como estou passando por esse momento em meu casamento, sentindo-me solitária, acabei por sentir interesse por outros homens, e até cheguei a me lembrar de outros que conheci e com quem não decidi ter nenhum relacionamento, me perguntando se teria dado certo com algum deles. Então, sentindo minha vida vazia, acabei preenchendo meu tempo livre na internet. Alguns meses após ter adquirido esse hábito, conheci um homem que despertou minha simpatia tão logo tivemos a oportunidade de conversar. Sua foto me chamou muito a atenção, mas logo imaginei que, sendo alguns anos mais velho do que eu, e tão atraente, inteligente, educado e gentil, não poderia ser solteiro. À princípio, conversava com ele esporadicamente. Em uma determinada ocasião, ele conversou comigo pela webcam. Gostei de conversar com ele, o achei bonito, mas algo me fazia sentir uma certa ressalva, um receio no íntimo da alma, o qual não pude compreender. Tentei não estender muito a conversa, embora tenha gostado de sua companhia. Estava me sentindo insegura, desconfortável com aquela situação. Nossos contatos pela internet continuaram sendo esporádicos, porém nunca mais pela webcam. Conversávamos por voz ou por texto. Fomos simpatizando cada vez mais um com o outro, e descobrindo algumas singularidades um no outro, sendo algumas diferenças de opiniões e muitas outras perspectivas semelhantes. E nossa convivência foi aumentando juntamente com um sentimento mútuo de afinidade, sobre o qual falávamos em tom amigável. Por dentro, no entanto, estava sentindo por ele uma admiração cada vez maior, uma afeição crescente e profunda, e uma forte atração por ele. Senti medo desses sentimentos. Não sabia se estava me apaixonando por ele. E ele, por sua vez, se desdobrava em gestos de atenção e carinho, em gentilezas, em ajudas, em conselhos. Estava sempre interessado em tudo que tinha a ver comigo. Sempre se predispunha a me ajudar em tudo, se fazia sempre presente, até chegar ao ponto de trocarmos mensagens por celular. Passamos a ter um contato diário e, normalmente, ficávamos muitas horas conversando sobre diversos assuntos. E mesmo quando estávamos fazendo outras coisas e não podíamos conversar, ficávamos sempre conectados na mesma sala de bate-papo, e acabávamos sempre conversando um pouco em vários momentos do dia. Não havia um dia sequer em que não nos falássemos. E em diversas ocasiões ele me disse coisas que demonstravam um sentimento maior do que uma simples amizade. E eu também o fazia, sempre notando que ele se alegrava com isso; ouvia seu riso tímido. Mas durante esses meses em que estávamos nessa rotina, não tive coragem de contar sobre meu casamento. Senti muito medo de afastá-lo. A ideia de perdê-lo dilacerava meu coração. Ele chegou a perguntar algumas vezes se eu morava sozinha, mas sempre desconversei, e até acho que ele ficou desconfiado. Ele não perguntou mais a respeito disso, mas nossa convivência continuava da mesma forma. Ele sempre deixou claro que era solteiro. Mas havia um outro obstáculo entre nós: moramos em estados diferentes, e nenhum de nós tem condições financeiras para viajar com frequência. Ele estava morando com a irmã. Eu o ouvia brincando com os sobrinhos e seu jeito com crianças encantou ainda mais o meu coração. Seu jeito de ser, seu humor, sua voz, tudo nele me atraía cada vez mais. E se ele se ausentava da internet, sempre me procurava para dar satisfações sobre onde estava e o que estava fazendo. E se demorava para voltar, pedia desculpas, se explicava. E eu sempre demonstrei reconhecimento por suas atitudes, que sinceramente eu admirava muito, além de confiança em tudo o que ele me falava. Ele também me procurava para desabafar sobre seus problemas. E quando eu estava triste, ele sempre procurava conversar comigo para me fazer sentir melhor. E se percebia que era por culpa dele, pedia desculpas. Mesmo quando havia outras pessoas na mesma sala de bate-papo, embora ele conversasse com elas, acabava sempre se dirigindo a mim, e sempre demonstrava atenção a tudo o que eu falava. Em algumas ocasiões, ele dizia que precisava se ausentar para fazer alguma coisa, mas continuava conectado na sala de bate-papo. E nesses momentos eu aproveitava para conversar com uma amiga, pedir-lhe conselhos, perguntar o que achava da situação. E eu acabava falando um pouco sobre os meus sentimentos e inseguranças em relação a ele. Minha amiga, que em diversas ocasiões pôde observar nossa relação um com o outro, e dizia que havia algo mais ali, que não era possível que ele me visse apenas como amiga. Aquilo me alegrava muito. E nessas conversas com minha amiga, de repente ele aparecia do nada, às vezes rindo baixinho, às vezes fazendo qualquer comentário sobre qualquer assunto, mas ficava evidente que ele estava escutando a conversa. Ele chegava até a usar palavras que eu havia usado na conversa com minha amiga. Observei também que ele costumava imitar meu sotaque com muita frequência, usava palavras e gírias que eu usava, e até imitava um pouco as minhas atitudes. E além de me chamar com muita frequência, para dizer qualquer coisa, quando estava conversando com outra pessoa ele sempre pronunciava o meu nome. Era incrível a quantidade de vezes que ele dizia o meu nome. As outras pessoas começaram a notar nosso comportamento carinhoso um com o outro, e começaram a fazer comentários. Algumas vezes chegavam até a nos dizer coisas sobre isso, o que nos deixava constrangidos, ambos mudos. Um dia, em tom bem humorado, tentando brincar, ele disse que não me amava mais e começou a rir. Fiquei triste e lhe disse: mas eu sim, te amo. Ele riu e, então, respondeu: amo sim... amo sim... em seguida, ele riu e logo depois se calou. Naquele momento eu tremi de emoção, pois nunca havíamos nos dito aquilo até então. O meu coração disparou. Nos momentos seguintes a esse acontecimento, tanto eu quanto ele ficamos visivelmente envergonhados, pois tentamos mudar de assunto, mas ambos estávamos gaguejando, titubeando, e nos calando sem concluir frases. Ficamos em silêncio. Não sei como ele estava, mas eu estava tremendo, emocionada, desejando estar diante dele para beijá-lo e abraçá-lo com todo meu amor. Mas depois desse acontecimento, continuamos convivendo da mesma forma, com muito carinho e atenção, passando horas juntos, nos divertindo e nos apoiando em vários assuntos. Quis falar com ele sobre aquilo, mas estava morrendo de vergonha, e também sabia que fazer isso significaria ter que revelar o fato de eu ser casada. O pavor em perdê-lo me levou a perder a coragem e adiei indefinidamente essa revelação. Desejei profundamente que ele tivesse a iniciativa de falar comigo sobre nossos sentimentos, mas isso também não ocorreu. Tempos depois, ele começou a demonstrar que estava triste, preocupado, distraído. Estava ficando calado e, às vezes, não prestava muita atenção ao que eu lhe dizia. Quando perguntei o que havia, ele disse que estava muito triste, sem dormir direito, porque achava que talvez tivesse que se mudar e que, se isso ocorresse, ele provavelmente ficaria sem internet. Explicou que sua distração era conversar com os amigos na internet e que não queria perder contato com as pessoas. Algum tempo depois, ele me disse: - "olha, sendo bem sincero, eu nem me importo tanto em perder o contato com os outros. Eu me importo mais é com você". E então ele explicou que a vida poderia nos afastar. E ficou calado, triste. Tentei ajudá-lo, disse a ele que daríamos um jeito, porque eu também queria manter contato com ele. O tempo passou e ele não se mudou. Continuamos nossa rotina costumeira, e ele me pareceu bem mais animado. Algum tempo se passou e, numa noite, quando estávamos nos despedindo para irmos dormir, ao final da conversa ele me disse: - beijinho, te amo. Em seguida, ele ficou em silêncio e desconectou do bate-papo. Naquele momento inesperado, tremi de emoção novamente. Fiquei me perguntando se havia escutado direito. A alegria não cabia dentro de mim, mas senti medo de não ter escutado direito. Dois dias depois, resolvi criar coragem e retribuir o gesto, já que não tinha coragem de tocar diretamente no assunto. E, numa rápida conversa pelo celular, ao me despedir dele à noite, utilizei exatamente a mesma fala dele, lhe dizendo: - beijinho, te amo. Silenciei e desliguei. No dia seguinte demoramos para nos falar, pois ele havia viajado para outra cidade, para prestar um concurso público, e eu também estava em outra cidade, visitando meus pais. Quando eu estava retornando para casa, ainda na estrada, e eram cerca de 21:30h, ele me enviou a seguinte mensagem de texto no celular: Cheguei. Cadê você? Aquela procura constante dele por mim encantava ainda mais o meu coração apaixonado. Respondi carinhosamente, explicando que estava na estrada, o horário previsto para que eu chegasse em casa, e mandei-lhe beijos. Logo que cheguei em casa, conectei-me o mais que depressa na internet, com o coração cheio de saudade. Ele estava lá, na mesma sala de bate-papo de sempre, e ficamos conversando alegremente. Quando estávamos para nos despedir, ele me disse: - "Obrigado pela sua ligação de ontem, viu". Pude ouvir ouvir seu sorriso. Respondi-lhe: - "De nada... fiz isso por muito carinho, você sabe". E ele: - "Eu sei...". Ele riu de um modo meigo e nos despedimos carinhosamente. Os dias foram se passando, nossa convivência continuava quase a mesma de sempre, exceto pelo fato de eu notá-lo muito pensativo. Ele, sempre muito falador, estava ficando muito tempo calado. Conversava comigo com a mesma atenção e carinho, continuava sendo presente, prestativo, gentil e bem humorado. Mas em determinados momentos, ele silenciava e eu sentia que havia algo errado. Ele continuava sendo carinhoso, mas notei que ele estava se controlando. Aquilo me assustou e doeu fundo em meu coração. Procurei conversar com ele para saber o que havia de errado. Ele dizia que estava preocupado com os problemas. Os dias se passaram e notei que ele continuava preocupado. Não havia mudado em seu carinho e sua atenção comigo, mas se mostrava muito pensativo. E então, num dos dias subsequentes, logo pela manhã, quando estávamos começando a conversar, ele começou a falar diversas coisas que acabavam por se misturar e até tive dificuldades para compreender tudo o que ele estava falando. Ele parecia chateado, mas também falando de maneira incisiva. E no meio de comentários confusos, disse coisas sobre as pessoas terem que aprender a se desapegar. Aquilo doeu fundo em meu coração. Não entendi direito onde ele queria chegar mas, no dia seguinte, chorei praticamente o dia todo, e apenas fui conversar com ele apenas à noite. Senti-o diferente, pensativo. Tentei conversar com ele. Ele me pediu que eu esperasse um pouco. Ausentou-se por cerca de meia hora. Quando voltou, fechou a porta do quarto e veio conversar comigo. À princípio, estava meio calado, mas quando comecei a falar, ele me interrompeu e começou a dizer que o que havia entre nós era apenas uma amizade, e que não havia como dizer que era mais do que uma amizade. Até afirmou me ver apenas como uma amiga. Aquela revelação feriu profundamente o meu coração. Tentei obter explicações dele. Ele se alterou um pouco e disse que moramos em estados diferentes, que a vida nos colocou longe um do outro, e que não tinha como dar certo. Começou a dizer que se não havia o que fazer para conseguirmos ter um relacionamento, que então não íamos fazer nada. Exaltou-se e perguntou que tipo de relacionamento iríamos conseguir estabelecer, se nenhum de nós tínhamos condições financeiras pra isso. Disse que sentiu interesse por mim, pois temos muita afinidade e uma união que falta em muitos casais, mas que ao perceber que a distância e as dificuldades financeiras iriam impedir a relação, que não deixou seus sentimentos aumentarem. Eu, extremamente magoada e desiludida, disse-lhe que ele não havia deixado isso claro, que havia alimentado esse sentimento em mim, mas que não havia me dado valor e que estava me usando como um passatempo. Discutimos. Eu lhe disse que se ele não me queria, que eu me afastaria dele para sempre. Ele ficou quieto e, logo depois, começou a pedir que mantivéssemos o contato, que fôssemos amigos. Insisti que se ele não me queria, que eu precisava partir para tentar esquecê-lo. Ele se alterou novamente e disse: - "Não é que eu não quero! É que não tem como fazer isso"! Discutimos novamente. E depois acabamos por nos despedir. Ele perguntou se eu tinha certeza mesmo de que queria dizer adeus para sempre, ou se eu não queria pensar durante alguns dias. Respondi a ele que estava decidida, que precisava partir e seguir minha vida, porque não saberia conviver com ele sem continuar apaixonada. Ele se mostrou triste e me disse que sentirá tanta falta de mim quanto eu sentirei dele. Afirmou que ficaria conectado no bate-papo se eu quisesse conversar com ele algum dia. Desejamos tudo de bom um para o outro e nos despedimos. Não sei quanto a ele, mas eu estou arrasada. Não posso compreender o fato de vivermos toda essa história, de demonstrarmos tanto afeto, cumplicidade, confiança e afinidade, e ele afirmar que não era mais do que uma amizade. Nós nos tratávamos praticamente como os namorados mais unidos se tratam. É verdade que a distância e a falta de dinheiro iriam nos atrapalhar; não posso ignorar esses fatores. Mas não posso crer que ele não tenha correspondido meus sentimentos, pois durante todo esse tempo, seus atos, seu comportamento, suas atitudes e palavras demonstravam exatamente o contrário. Ele me parecia inseguro e preocupado sim, mas jamais se afastava de mim, e falava muito sobre nossa afinidade, sobre nosso vínculo, sobre a importância de me ter em sua vida. Por muitas vezes deixou de estar com familiares e amigos, e até de fazer coisas que gosta só para estar comigo. E quando discutimos, ele me disse isso claramente, ou seja, que ele deixou de fazer muitas coisas que ele gosta porque ele preferia estar comigo. Nossa convivência diária, os gestos que, muitas vezes, revelaram uma ternura que vai além de uma simples amizade, nossa preocupação um com o outro e tantas outras coisas passam por meus pensamentos agora, entrecortados por flashs de nossa última conversa. Nada parece fazer sentido. Não sei se ele não compreende os próprios sentimentos, se ele estava mentindo pra si mesmo ou se ele se aproveitou mesmo de mim, deliberadamente. Gostaria de saber sua opinião a respeito dessa história. É claro que só Deus sabe a verdade absoluta dos fatos, mas estou pedindo socorro para refletir sobre tudo isso, para tentar encontrar possíveis explicações e, quem sabe, amenizar o meu sofrimento. Se ele ao menos tivesse dito que me amava, mas que não podíamos ficar juntos por todos os impedimentos dessa vida, eu me sentiria ao menos um pouco melhor. Mas é claro que eu só iria querer ouvir isso dele se fosse verdade. No entanto, sinceramente desconfio que ele não tenha sido totalmente honesto comigo, porque o tratamento e a dedicação que ele me dedicava não me parecem coisas de simples amigos. Será que ele que ele ao menos me amou? Será que nossa afeição recíproca é algo trazido de outras existências? Será que um dia nos reencontraremos e poderemos viver esse amor? Isso se é que ele me amou mesmo porque, para minha angústia, não sei mais o que pensar de tudo isso. Muito obrigada pela atenção desde já, e pelos seus conselhos.
  116. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 1.12.13 @ 19:25:31

    Amigos, em breve virei respondê-los... estou em semana de provas na faculdade e preciso de tempo e atenção tanto para elas, quanto para vocês. Tenham um pouquinho de paciência, volto em alguns dias, se Deus quiser. Luz e paz! Grata!
  117. Comment by Vida Silveira — 2.12.13 @ 16:18:32

    Olá Vania! Seu texto eh lindo e muito emocionante. como a maioria das pessoas que o leram, tbm tenho algo a relatar. Há alguns meses conheci o homem mais fascinante do mundo. Muito carinhoso, atencioso, apaixonante mesmo. Só que éramos casados. Como meu casamento já não andava bem, sempre deixada de lado pelo meu marido, decidi me entregar a esse amor. nunca fui tão amada, tão desejada, nunca me senti tão valorizada. acordava com seus telefonemas, ele fazia sempre o possível para estar comigo... eu realmente nunca fui tão feliz. Ele mesmo dizia q acreditava em vidas passadas, pois somente isso explicaria o que ele sentia por mim, tanto amor, em tão pouco tempo. Eu me separei do meu marido e ele tbm se separaria da esposa. Sei que não eh certo, mas tbm sei que o que sentíamos um pelo outro era muito verdadeiro. Infelizmente só durou cinco meses. Eu o perdi em um assalto qdo ele chegava em casa. Poucos minutos antes estávamos juntos, e aquele foi um dos melhores encontros que tivemos. Naquele dia ele me falou tantas coisas, perguntou se eu conseguiria viver sem ele, colocou uma musica que era nosso tema. Enfim, ele deixou um vazio enorme na minha vida. peço para vê-lo, mas para minha tristeza não consigo nem sonhar com ele. nos primeiros dias após sua partida sentia muitos arrepios. ate um amigo meu qdo vinha na minha casa tbm sentia, mas agora nem isso. Peço muito a Deus para q ele esteja em um bom lugar e para que eu possa reencontra-lo. ele mudou minha vida, desde sua partida tenho sido um ser humano melhor. obrigada pelo espaço. Bjsss
  118. Comment by Alek Sander — 3.12.13 @ 13:58:48

    Olá Vania lendo seu texto pude sentir um grande alento, conheci uma pessoa na internet em 2007 e desde então me apaixonei perdidamente. Ela foi morar no exterior e o encontro não foi possível. Até hoje a amo e sei que amarei eternamente. Não tenho como saber se escolhi essa dura prova e devo suportá-la para meu aprimoramento, mas espero sinceramente um dia estar junto dela na Eternidade pois acho que nessa existencia não será possível. Parabéns pelo lindo texto!
  119. Comment by Nana — 19.12.13 @ 18:26:56

    Seu texto também me trouxe conforto... Já tinha noção de tudo isso, mas ouvir de alguém é sempre bom para nos fazer ver que estamos no caminho certo... Já estava comprometida há muitos anos com um homem maravilhoso quando conheci minha alma gêmea... Embora tivesse certeza de que compartilhávamos um amor de várias vidas passadas, em nenhum momento pensei em terminar meu compromisso, pois já estava ciente de que se tratava de uma provação... Recentemente descobri que minha alma gêmea está com alguém... Eu já imaginava que isso aconteceria um dia, e sei que ela está no seu direito, mas o que mais me dói é saber que ela chama essa nova pessoa de 'alma gêmea' também, apesar de ainda me amar... Não duvido que se trate igualmente de dois Espíritos afins, mas a história deles não é como a nossa... O amor não é igual. Tudo a respeito da minha história com ele leva a crer que éramos almas gêmeas, tudo, cada detalhe, cada número, cada circunstância, a ordem e o modo como tudo aconteceu. Já com sua nova companheira não é assim, embora eles também tenham sentido uma afinidade à primeira vista (o que sei que é comum). Dói muito saber que ele quer chamá-la de sua alma gêmea agora... Mas sei que tenho que aprender a ser menos apegada, tenho que me resignar, ser paciente e esperar... Eu já dei a ele a opção de colocar um ponto final na nossa história mas ele não quis, e não entendo por quê. Ambos seguimos felizes em nossos relacionamentos, e o nosso amor secreto permanece como um negócio pendente.
  120. Comment by Nana — 19.12.13 @ 18:32:06

    O que mais inquieta é a dúvida: essa história se trata de uma expiação, apenas para que eu aprenda a sofrer resignada, ou de uma dificuldade, para que eu aprenda a abrir meu coração e correr riscos? Pois ainda não me casei com meu companheiro, em tese seria possível que eu terminasse e tentasse lutar pelo meu amor... Mas há outras coisas que nos impedem: a distância, o meio social em que vivemos... Sou totalmente racional e minha alma gêmea é pura emoção... Certa vez conversamos e ele me disse que Deus permitiu que nos encontrássemos nessa vida para que eu aprendesse com ele a ser um pouco menos fria e aprender a ter coragem de abrir meu coração... Enfim, obrigada pelo espaço, apenas queria compartilhar a minha dor... Mas sigo acreditando que Deus tem o melhor para nós... Parabéns pelo blog.
  121. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.12.13 @ 11:22:51

    LUIZA, bom dia! Perdoe a demora em respondê-la. O amor é um sentimento que transcende a vida física e a forma/gênero físico. Hoje você sente amor pelo homem, ontem pode ter sido pelo filho, amanhã por um irmão. Muda a forma, mas o amor permanece. Nossas preocupações aqui na Terra são quase sempre passionais, mas esse belo sentimento vai muito além. Com certeza o sentimento de vocês é verdadeiro, mas não quer quiser que sim ou que não, que ficarão ou sempre ficaram juntos como companheiros. Se quer uma opinião, despreocupe-se disso. A alma tem capacidade de amar muito a muitas pessoas e todos sempre serão especiais. Há almas com as quais nos afinizamos mais com o decorrer do tempo, por isso mesmo as sentimos como "almas gêmeas" (sem sentido de metade!!), se seu namorado for essa alma, vocês trilharão juntos muitas vidas em muitos papéis, e inclusive na realidade espiritualmente poderão conviver, construir família. As famílias espirituais ocorrem por afinidade, por isso muitas almas deixam oportunidades de progredir rápido para esperar enquanto ajudam, aos seus amados renitentes no erro. Sendo real o sentimento e sendo o que programaram para suas vidas, não há motivo para as pequenas dificuldades da existências não serem resolvidas e superadas a fim de que cresçam juntos. Se não esclareci o suficiente, fique a vontade para questionar mais. Paz!
  122. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.12.13 @ 11:34:34

    CAMILA, existe sim amor de outras vidas, seria ilógico imaginar que sentimos tantas coisas boas na alma e que ao morrer, tudo se apagasse como uma fogueira não alimentada. E existem espíritos superiores (o que você chamou de guia de luz), mas estes espíritos são muito criteriosos em se manifestar sobre nossas vidas e se comunicarem em qualquer lugar e momento. Veja, não estou duvidando da mediunidade do seu namorado, nem das comunicações que passou, mas é bom saber que o médium que permite comunicação sem critérios de segurança, pode vir a ser enganado por espíritos brincalhões. Diga-se também que seu namorado é o único que precisa te aceitar na vida dele, nenhum espírito superior irá dizer "aceito ou não aceito" seu namoro, ele intuem, orientam subjetivamente, nunca dizem o que devemos fazer, isso feriria nosso livre-arbítrio. Entenda melhor, se o espírito dissesse que não aceita você e seu namorado te afastasse por causa disso, esse espírito teria violado o direito dele e seu de escolher a própria estrada, compreende? Por isso meu alerta sobre, inclusive, acreditar cegamente em espírito, precisa avaliar cada comunicação e seus resultados, para saber se provém de um espírito realmente bom e sábio. Uma vez que você está ligada a uma boa pessoa que é espírita e também tem se interessado por essa doutrina de luz, sugiro que passe a conhecê-la através do estudo das obras básicas de Allan Kardec, para não só compreender melhor o que acontece com seu namorado (o dom dele), como também elevar a própria vida espiritual com a segurança da fé e do conhecimento.
  123. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.12.13 @ 11:45:46

    PAULA, não só o amor segue conosco do passado, não raro, em especial na Terra, planeta ainda de expiações,o que nos acompanha são ódios, mágoas, rancores, decepções, inveja, sentimentos negativos que nos vinculam a outros irmãos. Veja, você ama seu namorado, respeita o próximo, compreende que o amor transcende o circulo comum familiar, mesmo assim sente um mal estar com sua sogra. O passado, se não a falta de afinidade espiritual, interfere nessa relação. Presumindo que seja mais do que a falta de afinidade, que haja uma história entre vocês, o que fazer é exercitar o perdão. Você não sabe se ela "aprontou" contigo ou você com ela, se ela te prejudicou ou você a ela, então, não cabe aqui julgar, só perdão para si se foi causadora do mal estar no passado, e a ela, se ela o foi. Não é incomum, por exemplo, que almas que foram parceiras afetivas (amantes, no sentido amplo), depois renasçam como pais e filhos. Digamos que ela, sua sogra, tenha sido pivô de uma separação sua do seu namorado, ou você o pivô da mesma separação dele com ela, explicar-se-ia o sentimento, não? Considere agora que isso ou o que for de verdade é passado, que não existe mais competição, que apenas o sentimento precisa ser ajustado. Então, esforce-se para aproximar-se, ser gentil, simpática, verdadeira, o tempo e as atitudes de apaziguamento dos sentimentos serão o ato do perdão que precisam se dar. Depois desse tempo todo, talvez ela fique resistente um pouco, mas não esmoreça. Pense... se casar e tiver filhos, ela estará na história não só do casal, mas dos netos, seus filhos... concorda que além de ser o certo e o bom, é o mais inteligente quebrar esse ciclo de sentimentos negativos? Faça o exercício que propus um dia de cada vez, não queira mudar de um dia para o outro, mas tenha em mente que vencerá, pois quer fazer o certo e nisso, Deus sempre ajuda.
  124. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.12.13 @ 12:48:11

    BIANCA... tentarei comentar ponto a ponto seu desabafo, na ordem em que foi mencionando sua história, e lembro-a que meu papel não é te dizer o que fazer, mas explicar as questões de ordem espiritual e talvez, comentando algo, te ajudar a pensar para tomar decisões. Começo com seu primeiro parágrafo, que trata dos sentimentos por seu marido. Você diz que não o ama mais, que não têm intimidade física, não sente desejo sexual, o vê como irmão. E ainda diz, no contexto, que ele te ama e que não separa porque não o quer fazer sofrer. Antes de tudo, cabe esclarecer que diferentemente do que pensam outras religiões, o divórcio não é repudiado no espiritismo, entendemos que nos unimos às pessoas para aprender a amá-las, respeitá-las, para crescer com elas, ajudando-as e sendo ajudados mutuamente. Se um relacionamento perde o sentido do respeito, seja pela violência, seja pela traição, o primeiro ponto é pensar se não estará aumentando seu débito espiritual para com o amigo de sua alma (pois você o vê assim), e se não seria melhor, sendo tão grave quanto mostra, a separação antes que o ódio nasça. Por outro lado, concorda que a desculpa de não querer que ele sofra é apenas ilusória? Um homem que ama sua esposa, que não mantém relacionamento sexual com ela, que certamente nota não ser amado e que se submete a isso por amor, já sofre. A separação daria, provavelmente, um pico de sofrimento, decepção, mas aria também a oportunidade dele encontrar uma pessoa que realmente o ame e valorize, o respeite e seja fiel ao relacionamento que se dispôs a viver. Mas, alerto, antes de pensar nisso, pondere bem como se sentirá longe dele, pois não é raro que as pessoas ainda se amem e não saibam disso, somente na hora o risco de perder, percebam seus reais sentimentos. Recorde também que o que nao terminar agora e o mal que tenha causado com o que tem vivido, terá que ser ressarcido um dia. Bom, em seguida você menciona que com a sensação de solidão acabou na invigilância, tão comum entre todos nós, e com isso se envolveu emocionalmente com alguém pela internet. Veja que sua consciência (certamente seu anjo de guarda também) te alertaram dos riscos, pois sentiu um mal estar inexplicável com a primeira conversa pela webcam. Espiritualmente somos conscientes do que é certo e errado, as leis morais estão gravadas em nós, e quando estamos indo em direção ao erro, ela acusa. Nossos mentores espirituais também procuram, pela intuição, nos fazer ver o engano que estamos prestes a incorrer. Só que a decisão é nossa e parece-me que temos, s humanos, alma aventureira, sempre vendo mais beleza e atratividade naquilo que não possuímos. Você insistiu e acabou construindo um sentimento que nao poderia ser em sua vida, na atualidade. Depois você menciona, querida, que também enganou o amigo/paixão virtual, pois não contou a ele que era casada... porque não o fez? Não seria por ter vergonha do erro que tem cometido com o esposo, somado à vergonha de saber que ele talvez te julgasse mal e, ai sim, se afastasse? (Ressalvo aqui que o seu engano é o engano de muitas almas, isso não as torna más, não a estou criticando por sua história, escolhas e sofrimento, apenas tentando que perceba como as coisas podem ser vistas pelos outros). Você percebeu que ele estava interessado em você tanto quanto você nele, mas não foi capaz de abrir mão do relacionamento atual que acha ser falido, nem dizer a ele, o virtual, sua verdadeira condição e quanto mais tempo, mais grave isso fica para os dois lados, não acha? Não me surpreenderia se ele tivesse notado que você tem algo a esconder dele, pois foi depois da inesperada declaração de amor de ambos, um sentimento que já transparecia, que vocês acabaram se afastando. Não acha estranhável um grau de relacionamento afetivo como o de ambos e ele nem sabe com quem mora? E o mais sugestivo em sua história é que você depois que falou do marido e dos sentimentos de ambos, simplesmente pareceu esquecer que é casada, somente te importando o que o rapaz virtual sente por você. O que seria, aliás, que ele sente? Sua história, sob sua ótica, mostra que ele a ama e que só negou isso devido a perceber que você é casada, é o que acho, ou ao menos que esconde algo grave dele. E somando-se a isso o fato de pelo visto morarem bem longe, a dificuldade financeira que os aproximaria impedindo tal situação, para que ele pode ter pensado, alimentar esse sentimento em ambos? Homens são práticos... Por outro lado, cabe lembrar que sua ânsia de saber se ele a ama mostra que se preocupa mais contigo que com ele, pois se ele dissesse "estou indo ai", você possivelmente sairia em desespero pensando em como evitar isso, por conta do seu marido... ou seja, o importante para você parece que é ser amada, não o sofrimento que esse amor não concretizado possa causar nele. Por fim, o que penso mesmo é que no momento você deveria gerenciar o sentimento que tem por esse moço de forma racional, afinal, estão distantes, não se conhecem profundamente (ele não sabe que é casada, uma coisa de tal importância, acha que sabe dele tudo o que tem que saber e que só os olhos nos olhos mostram?) e, gerenciando o que sente, procurar focar na solução do seu casamento. Você tem duas opções: separar ou ficar casada. Se decidir separar, sendo honesta consigo mesma e com seu marido quanto ao que sente (ou não sente), dará aos dois a chance de recomeçarem e fará isso antes que a ferida que está abrindo se torne grave demais. Se decidir ficar casada, precisará investir no namoro de novo, lembrando que o sexo, aqui na Terra, é mais do que ato de reprodução, é modo de construir intimidade, quando um casal não se relaciona sexualmente, quase sempre nasce uma barreira na comunicação. Se ficar com seu esposo, aprenderá a olhar para ele como se o conhecesse agora, reconhecerá as virtudes dele, ajudará nas fraquezas dele. Talvez até uma terapia de casal os ajudasse nesse momento, pois não só você está engolindo sentimentos e escondendo pensamentos... ninguém engana outrem para sempre, ainda que apenas intuitivamente ele sabe... Pensei muito antes de te responder, pela gravidade da sua história. Não presumo que vá gostar do que digo, nem menos ouso dizer estar certa, é um ponto de vista construído sobre o que aprendi e sobre a sua parte da história, mas ao menos, já que chegou até aqui, espero que reflita sobre isso... você tem em suas mãos a decisão do destino de três pessoas no mínimo (seu, do marido e do outro moço, sem falar de filhos, que não os mencionou) e está segurando de forma, perdoe dizer, egoística, pois quer tudo = não ferir o marido, manter o lar, ter o amor e ser feliz, sem escolher e sem abrir mão de alguma coisa - você não menciona isso, mas está implicíto. Espero que descubra que felicidade é construção... e que os instrumentos estão em nossas mãos. Muita luz.
  125. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.12.13 @ 12:57:54

    VIDA SILVEIRA, o que começou errado (o amor que gerou traição) foi consertado pela decisão de serem honestos com seus esposos e sentimentos. Seu companheiro falecido desencarnaria de qualquer modo, pois a morte, exceto por suicídio direto ou indireto, não chega antes da hora. E uma vez que se amavam e corrigiram o relacionamento com uma união lícita, não há porque no futuro verem-se. Claro que tudo será conforme mérito, utilidade e necessidade, como é sempre nas relações espirituais. Por fim, cabe dizer que mortes violentas costumam deixar os desencarnantes um tempo aturdidos, até porque poucos pensam em preparar-se para a morte. Seu companheiro pode ter efetivamente, após o desencarne e sem perceber o que aconteceu, corrido ao lar, e como tudo estava estranho - você não o via, chorava - sentia-se mal, o que explicaria parte das sensações seguidas à morte, no seu lar. A recomendação é que quando chorar, não seja por desespero, inconformação ou crítica a Deus, que seja de amor e saudade, mas lágrimas confiantes no futuro. Também ore sempre para ele, diga em preces para ele ficar bem, que aceite ajuda, que estude e se prepare, pois quando você partir, ele poderá te receber e continuarem sua história... fale do seu amor e da saudade, mas que está conseguindo viver e que o que te dá forças é saber que ele era uma pessoa boa que está num bom lugar... deixe seu coração falar com o cuidado de não o atrair e prender ao lar, pois por mais amor mútuo, isso prejudicaria gravemente a ambos, criando uma obsessão para os dois. Procure um centro espírita, coloque o nome dele nas vibrações, escute palestras (possivelmente, se ele estiver por perto, irá te acompanhar e lá receberá muito auxílio)... a vida não tem fim, tem pausa, não esqueça. Paz.
  126. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.12.13 @ 13:05:03

    ALEK SANDER, algumas coisas são decididas no decorrer da preparação para encarnar, por exemplo, com quem possivelmente formaremos família, filhos que aceitaremos, influência no mundo (tipo, uma profissão), quando e mais ou menos como morreremos. Os relacionamentos e sentimentos que vivemos podem ou não ter sido previstos, as vezes reencontramos almas afins e não está programado ficar com elas, mas o sentimento se mostra assim mesmo. Quando a vida dificulta algo, pode ter dois motivos, ou não deveria acontecer, ou temos que mostrar persistência para conquistar. Seja o que for no seu caso, você pode lutar para ficar com a pessoa que ama, se não for para ser, não force a barra com a vida, haverá outro momento e até outra pessoa prevista. O livre-arbítrio é nosso, o que nos falta é deixar de pensar "e se", e fazer a nossa parte naquilo que podemos... coragem para lutar não abre mão da resignação ao que não pode ser mudado, assim como o inverso também é verdadeiro. Boa sorte.
  127. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.12.13 @ 13:43:34

    NANA, no fundo da alma a gente sabe se a história que estamos vivendo é a que devemos viver. Se tudo impede o relacionamento - estarem felizes com os companheiros atuais, distância, e mesmo que livres de certo modo, estarem ligados a terceiros e não se comprometerem mutuamente, "parece" sinalizar que por enquanto não é para ser. É de menos ele chamar a atual companheira de alma gêmea, pois não só isso não desqualifica o que ambos sentem, como também pode ser que ele sinta uma grande afinidade a ponto de querer que ela seja, já que não está contigo. O que me preocupa mais é que embora não vejamos sentido no afastamento das pessoas que um dia amamos, por conta de estar afetivamente ligadas a outras, o fato é que isso não dá certo, o ser humano é ainda muito apegado a questões de posse para poder lidar com isso. O que quero dizer é que o contato frequente de ambos pode vir prejudicar a integral entrega aos relacionamentos que efetivamente elegeram viver. No mais, você mostrou muita lucidez e creio que saberá o que deve ser feito para que todos os sentimentos envolvidos em sua vida, sejam construtivos, úteis e nobres, de modo a trazer felicidade dos que compartilham de sua vida.
  128. Comment by andreia — 20.12.13 @ 19:35:39

    difícil, mas sei que por amor e fé devo guardar esse sentimento dentro de mim !!!
  129. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 21.12.13 @ 21:38:32

    ANDREIA, todos devemos fazer tudo por amor é fé... boa sorte!
  130. Comment by dani — 23.12.13 @ 01:30:47

    quando conheci o pai dos meus filhos tinha 14 anos reconheci ele no estalo,não sabia o pq meu coração batia tanto e fiquei loucamente apaixonada,coisas de menina ele nao quis nada e quando tinha 17 nos relacionamos nos amamos muito tivemos um casal fiquei 8 anos com ele ,mas ele é usuario de drogas esta em um estagio longe do meu a cumprir,tive que deixo-lo por isso,mas sei que é o AMOR da minha vida!!
  131. Comment by dani — 23.12.13 @ 01:35:44

    quando conheci o pai dos meus filhos tinha 14 anos reconheci ele no estalo,não sabia o pq meu coração batia tanto e fiquei loucamente apaixonada,coisas de menina ele nao quis nada e quando tinha 17 nos relacionamos nos amamos muito tivemos um casal fiquei 8 anos com ele ,mas ele é usuario de drogas esta em um estagio longe do meu a cumprir,tive que deixo-lo por isso,mas sei que é o AMOR da minha vida,eu fui obrigada pq ele estava num estagio sem controle,e ele vem me procurar fala que sou o amor da vida dele tbm,infelismente nossos caminhos são diferentes!doi muito te amo thiago
  132. Comment by Ana Alice — 26.12.13 @ 14:01:43

    Ola Vania! Adorei muito o seu texto!Parabens! Gostaria da sua ajuda ou opinião sobre algo que vem acontecendo comigo desde os meu 13 anos. Vi um rapaz, enquanto caminhava na rua e foi amor à 1° vista.Depois de um tempo namoramos, mais certa vez ele terminou comigo dizendo que gostava de outra pessoa.DEpois deste ocorrido ficamos mais algumas vezes, mais depois de um tempo tive outros namorados e hoje em dia sou casada com outro rapaz, mais mesmo assim, ainda hoje, passados 10 anos, quando o vejo ainda sinto como se eu o amasse.O que isso pode significar?Por que nunca consigo esque-lo?SErá que é algo que carrego de outras vidas? Aguardo sua resposta AVnia! Agradeço desde ja!
  133. Comment by Nana — 27.12.13 @ 01:33:24

    Vânia, você é magnífica! Não comentei especificamente para exigir de você algum conselho ou parecer, pois não posso colocar tamanha responsabilidade sob alguém, mas mesmo assim suas palavras me trouxeram grande conforto... De novo. Obrigada! E que Deus te ilumine sempre
  134. Comment by Luiza — 9.1.14 @ 16:16:45

    Olá Luiza! Obrigada pela contribuição, então, como havia comentado acima, nós temos o problema com a distância, isso pode ser uma forma de aprendermos a dar mais valor ao nosso sentimento, por exemplo?
  135. Comment by Milla — 11.1.14 @ 17:31:26

    Lindo texto gostei :)
  136. Comment by luh — 14.1.14 @ 23:33:05

    Posso te adc ao face vania? Tenho algumas duvidas.
  137. Comment by luis gonzaga — 20.1.14 @ 18:34:09

    Ola,perdi a minha mulher ha 1 mes,perdi a minha metade. Conhecemo-nos novos,tomamos e seguimos escolhas diferentes,reencontramo-nos apos s dois falharmos os nossos casamentos,duma forma tao inexplicavamente casual q so o explicamos juntos como obra do destino,vivemos juntos 18 anos,apesar de muitas tentativas para nos separarem,depois de muitos erros cometidos por nos,tivemos sempre a certeza que eramos um do outro,que somos almas gemeas,so a morte dela nos separou.Ela era uma mulher muita espiritual,sempre me disse que ia morrer nova(43anos),morreu de cancro ns pulmoes.poucos dias depois de partir passei a sentir dores horriveis no peito,nao as do desgosto q tenho,mas sim dores pulmonares.Ainda nao fui ver o q podera ser,mas sinto que lhe estou a seguir os passos,ideia que me deixa muito feliz,pensar que poderei estar junto a ela brevemente.pensas que isto e possivel?sera so imaginacao minha?as dores nao sao,garantidamente.gostava da tua opiniao-.e diz-me,a ser verdade como reconheceria o espirito dela?que aparencia podera ter.uma nevoa?uma imagem?ou a figura da ultima encarnacao?obrgado,adorei o texto,fez-me bem le-lo
  138. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.1.14 @ 19:43:07

    DANI, realmente, quando nossos amores se perdem, as vezes é preciso dar a eles o tempo de viver suas escolhas, pois somente quando decidirem que não vale a pena, retornarão ao caminho do amor sem dor. Você parece consciente do seu sentimento e de que no momento não é conveniente ficarem juntos, oxalá ele perceba que com um pouco de esforço, pode superar o vício e viver um grande amor. Paz. ANA ALICE, querida, a paixão dos jovens costuma impactar de modo quase inesquecível na alma humana, não é a toa que o "primeiro amor" é aquele que marca para sempre. Claro, pode sim ter sido reconhecimento de um amor do passado, um laço de outrora, mas, se não ficaram juntos, obviamente que escolheram outras estradas (antes de nascer, fazemos algumas programações dos eventos mais importantes, tais como este). Sem duvida podemos acabar por fugir do programado, mas não parece o caso pelo seu curto relato. A sensação de que ama o rapaz apesar do tempo, pode ser uma sensação de reconhecimento da sua alma, mas o fato é que hoje seja qual for sua história com ele, seu foco deve ser integralmente o esposo e família, ou seja, quando vir o rapaz, quando lembrar dele, ore por sua paz e pelo bem dele, a prece é um laço que transcende, porém deixe ao tempo e a Deus a decisão de quando poderá saber quais os laços espirituais que os atraem. Boa sorte. NANA, minhas resposta (penso deixar isso claro) são pontos de vista, opiniões baseadas no pouco conhecimento espírita que tenho e, claro, nas minhas experiências pessoais, seja da própria vida, seja da observação de tantas pessoas que me contam sobre suas fragilidades afetivas. Ou seja, a ninguém dou resposta absoluta, teto ajudar a pensar. E sábia é você por observar o que te pode ser útil, decidindo por si mesma o que fazer da sua vida, no fim das contas, é o que deve ser feito por todos nós. Abraço e grata pelo comentário! LUIZA, realmente, não raro a distância pode ser o teste de paciência, de perseverança, de boa vontade, de fidelidade, dentre outros, para duas almas enamoradas. s vezes não damos em uma vida, o devido valor ao que temos, quando recebemos o mesmo de antes mas com dificuldades, compreendemos o valor que possui, certo? MILLA, obrigada! LUH, sim, pode me adicionar. LUIS, sinto por sua saudade. Tente mudar o conceito da morte no seu coração, você não perdeu, sua esposa está apenas temporariamente longe dos seus olhos e ouvidos físicos, espiritualmente se perceberem, sentem-se. Sua história foi de luta para ficarem juntos, conseguiram aproveitar, solidificaram o amor que transcende. Quando chegar a sua hora de partir, ela estando em condições de recebê-lo, em breve te verá e poderão continuar suas vidas na dimensão maior. No entanto, amigo, lhe sugiro que não descuide da saúde com a intenção de aproveitar a dor no peito para partir logo, pois ninguém engana a vida, a lei divina. Se você partir, que seja tendo cuidado da saúde, seja na hora que deve ser para evitar o suicídio inconsciente e, com ele, perder o direito do reencontro por um tempo. Por outro lado, pense que seus sentimentos, sua saudade, suas preces são comunicações que faz à esposa amada, ela te escuta de um modo ou de outro. Imagine que se fosse o contrário, alguns sentimentos e decisões dela encarnada, poderiam te entristecente ou preocupar enquanto desencarnado e, assim entendendo, procure manter o equilíbrio e a certeza do amanhã juntos. Por fim, quando puder encontrar com ela, ela se mostrará como era, como você a conhece, a ideia de espíritos como névoas sem forma é irreal, temos um corpo espiritual que nos dá forma. Talvez surjam outras dúvidas a partir do que eu disse, se for assim, pode escrever de novo, espero ter ajudado e desejo que até o reencontro você continue a sentir o amor que te manterá ligado à alma que ama. Paz. GRATA A TODOS! PAZ!
  139. Comment by luis gonzaga — 20.1.14 @ 20:26:10

    Obrigado pela tua resposta vania,isto esta a ser a pior prova,o momento mais horrivel da minha vida. Nao penso no suicidio pois tenho a certeza q isso me iria afastar do caminho dela,e punha em questao todo o orgulho que ela tina em mim. Nao vejo no entanto o facto de nao ser grande visita de medicos como um suicidio inconsciente,simplesmente decidi,tal como ela o fez,aceitar a vida duma forma mais natural. Sempre defendi assim como ela,q em caso de ter uma doenca maligna iria a proveitar o tempo p viver,e nao p sobreviver a arrastarmo-ns entre trataments. Sera q o facto de nao me entregar se necessario as ciencias modernas entre tratamentos de sofrimento,sera suicidio?nao sera melhor aproveitar esse tempo restante com qualdade junto dos q amamos e nos amam e a preparmo-nos espiritualmente para o proximo passo?claro q nao te vou mentir,e que uma noticia q estaria destinado duma forma mais breve a seguir o percurso dela nao me deixaria felz,mas sera isso deejar a morte?ou simplesmente sera sorrir p um destino q nos deixa de certa forma feliz.o facto de saber q a vou ver,quando Deus assim o destinar,como a conheci na terra tambem m deixa muito feliz. Ajuda a chama-la a mim acender velas junto das fotos e das coisas dela? Os espiritos tocam-se entre si,cheiram-se,tenh umas saudades do cheirinho e da pele ao suave dela,passavamos horas a admirar-nos,em terra sintiamos q elevavamos os nossos espiritos muito alto,fundiamos as nossas almas. Deixo-te uma ultima pergunta e um pedido. A cremacao interfere em alguma cosa com o percurso espiritual? Achas q de alguma forma me podes dar um teu mail para onde possa mandar uma foto nossa,gostava q visses. Um obdgado do fundo do coracao,este teu bcadinho foi muito importante p mim. Um bem haja e q Deus te de tudo de bom
  140. Comment by Vania Mugnato de Vasconcelos — 20.1.14 @ 21:20:26

    LUIS, oi de novo. Quem morre continua a viver, sentir, pensar do mesmo modo, continua se preocupando com os entes queridos, tem a consciência que a vida continua; por isso, qualquer coisas que os "vivos" façam e possa prejudicar seu futuro espiritual, os faz temer, pois os amam e querem seu bem. O excesso de desespero, diferente de lágrimas de saudades, a inconformação, o desapego pela vida e o que ainda deve ensinar, assustam os que partiram, pois sentem que há inconformação com as leis divinas, e a rebeldia nunca é boa para o espírito. O luto não deve fazer abandonar a escola da vida, e qualquer atitude que demonstre a intenção de abreviar a existência é considerado suicídio. A Providência Divina deu aos homens condição de criar e desenvolver a medicina, ela é instrumento da prorrogação da vida que não vai além do que deve ir, quantas pessoas tentam viver através dela e não vivem, enquanto outros desistem e não morrem... o que vale, nesse meio, é sempre a intenção e, no seu caso, a intenção parece ser morrer mais brevemente para antes reencontrar seu amor. Ocorre que "quem tem pressa come cru", diz o popular, e nada te garante vê-la se não merecer, por não ter considerado a vida como um todo, a vida não se limita à parceria que tiveram, ela envolve outras vidas, outras relações, outras lições, um pouco de paciência faz milagres para a alma. OUTRA COISA, Quem passa a viver no lado espiritual, precisa continuar a evoluir, tratar a saúde do corpo espiritual que reflete o que foi houve físico, rever a existência, analisar onde progrediu, o que falhou, estudar, trabalhar, programar novas experiências. Ficar "chamando" a pessoa só fará mal para ambos, para você pois não segue adiante embora o amor permaneça, para ela porque será atraída para uma situação de sofrimento, não será vista, escutada, não será sentida, não poderá te acalmar vendo-o chorar e sofrer, bem como não conseguirá fazer o que precisa e acima mencionei, ela poderá sair do amparo dos bons espíritos para ficar ao teu lado e além de se fragilizar poderá, sem querer, se tornar sua obsessora, aliás, ambos poderiam sê-lo mutuamente. ESTOU DIZENDO ISSO não porque vá acontecer, mas porque dependendo de como somos apegados, podemos entrar num problema grande como esse, portanto, respeite onde ela tem que estar e não a chame, ore, converse, mas sem chamar. POR FIM, a cremação não altera a condição espiritual, somente se recomenda que não seja feita antes de 72 horas, de modo a dar condição para que todos os laços do espírito se desprendam do corpo e não haja reflexo energético ao espírito, da cremação. Talvez os conceitos que te passei sejam confusos se nada souber de espiritismo, mas aos poucos e conforme for tendo condições, vou explicando. Paz.
  141. Comment by Elaine Ramira — 21.1.14 @ 21:20:19

    Olá Vania adorei ler o seu texto, gostaria de contar a minha história de amor que ja faz algum tempo que estamos sofrendo muito. Eu encontrei uma pessoa há muitos anos atrás numa empresa que trabalhamos juntos, mas na época eramos somente conhecidos, os anos se passaram e ele começou a comprar roupas em uma loja que eu trabalhava, ficamos amigos e nos falamos por email. Um dia ele me convidou para tomar um suco e aceitei, nesse mesmo dia ele me disse que era casado e tinha um filho, na mesma hora eu quis vir embora e não tive nada com ele e nunca mais mandei email. O tempo passou e depois de dois anos nos reencontramos de novo e ai nos apaixonamos e nos amamos. Ha principio ele queria se separar da familia para ficar comigo, eu não quis porque não queria que os filhos dele sofressem, pois também sou filha de pais separados.Ficamos juntos por algum tempo e nos separamos. Ele foi morar com a família em outro estado e ainda trocamos email e declarações de amor, ele me ligou no meu aniversario e disse que eu sou o amor da vida dele, inesquecível e ele também é o amor da minha vida inesquecível. O mais difícil é que ainda penso muito nele e choro muito a saudade dele.Não consigo esquecer e nem me desligar dele, onde quer que eu esteja o meu pensamento é só nele. Não consigo conhecer outra pessoa, choro muito e sei que eu preciso deixar ele viver a sua vida e ser feliz, já fazem nove anos e até hoje nunca tive outra pessoa, sempre fui fiel a esse amor. Será que temos algo de vidas passadas? Me ajude bjs
  142. Comment by Maria — 29.1.14 @ 00:57:30

    Parabéns!!! Vânia pelo o estudo maravilhoso e esclarecedor. Nunca havia encontrado um estudo tão claro sobre o assunto. Eu vivo quase tudo o que escreveu. Tudo começou quando uma pessoa bem próxima ( não vou citar nem o grau de proximidade nem o parentesco) em respeito a ele. Eu cheguei do interior de outro estado, não fomos criados juntos. Mas quando cheguei o lugar que mais eu amar passar final de semana era a casa que a mãe dele tinha e que moravam uns parentes nossos. Ele nunca me viu como uma pessoa interessante (acredito que me achava meu burra, não sei o que passava pela cabeça dele) até que uns 6 ou mais anos depois. Eu era muito amiga da irmã dele. Ela comentou com ele que eu era espírita (na nossa família só somos nos dois), aquilo chamou atenção dele. Começamos a termos mais aproximação dias após dias. Mim dava livros de presente, me ligava e me visitava. E o tempo foi passando. Cada vez mais se aproximando. Certo dia comecei a sonha com ele. Mas, não era um simples sonho. Eu o encontrava era como um íma que me puxava para ele, uma energia muito grande. Um sentimento avassalador, único não havia uma palavra se quer. Agente se complementava. O mais profundo do sentimento que um ser possa sentir eu sinto quando estou ao seu lado em sonho, não há palavras para expressar tamanho sentimento. Ele é tudo para mim, assim como sou para ele. Quando acordava ficava com aquele sentimento dentro de mim, até mais ou menos oito dias ( o mundo acabava para mim, porque só ele me preenchia naquele momento). Arrumava uma desculpa e ligava para ele. Aí passava. O tempo foi passando e o sonho continuou... Até que um dia ele me falou em sonho... ouvir pela primeira vez a sua voz. Força, coragem e paciência para as provas que lhes foram imposta. Fique sem entender. Um mês depois desencarnou meu avô, sobrinho, meu cachorro, primos e tios. (2010) um atrás do outro. Aí entendi a mensagem. Depois daí começou a confusão na minha vida. Eu não queria mais sonha com ele e ele me pedia nos sonhos para eu não o procurar mais. Só que ele aparecia também, ou seja não conseguia cumprir com a palavra. Até que um dia... eu descobrir que todo o sentimento da espiritualidade, estava sentido encarnada. Sofria calada, pois tenho um companheiro e ele tem uma companheira. O ano passado mais ou menos em outro eu fiz uma revolução na espiritualidade( em sonho) falei que não aguentava mais, porque que tinha que ser assim, daí me falaram que tinha sido ele quem escolheu, que eu tivesse calma e paciência que a minha verdadeira vida estava para começar. (pensei que íamos desencarna) fiquei com medo e falei para minha irmã. Só que o que ta acontecendo é que cada dia que passar não conseguimos ficamos separados, telefonema, mensagens e visitas de surpresa. Ele me fala que não sabe mais o que fazer, nem eu. Vivemos isso só para nos dois. Já estamos sentindo as mesma coisa, se eu perdi para ele me enviar uma mensagem por pensamento ou me ligar acontece. Ata também tem uma criança que eu sonho com ela que fala que não deixo nascer. Já ele vê a criança e sonha comigo e com a criança. No centro que ele frequenta já falaram que já viram uma criança ao lado dele varias vezes. Estou para enlouquecer. Pois deixei toda a minha família, esposo, emprego, apenas para olhar nos seus olhos e ouvir a sua voz. Pois apenas isso me faz a pessoa mais feliz do mundo. Só o fato de está no mesmo lugar que ele, para mim basta. Eu sou a mulher mais feliz do mundo. A música alma gêmea é o nosso tema. Eu consegui atraí-lo através dela. A primeira vez que ouvir chorei muito e eu cantava toda noite, foi quando começou os sonhos. Estou sem direção pois nem a espiritualidade me orienta mais. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Quando falou que não quero mais falar com ele para meu mentor espiritual, a espiritualidade se encarrega de trazê-lo aqui na minha cada. Lindo, sorrido e me olhando com aquele olhar que me diz tudo. O seu cheiro é único e, ele fala o mesmo do meu. Não sei o que faço. Ele me pede ajuda e eu também o peço, mais não adianta. Não honramos mais o que quer prometemos. É um drama que a cada dia... está ficando sem controle. Não sei o que faço... porque não quero que aconteça nada de ruim com ele, jamais... pois sua dor é minha dor. Não gosto que ninguém fale mal dele, doe em mim. Nem ele. Me de uma orientação por favor. Se possível me enviar por email.
  143. Comment by Márcia — 6.2.14 @ 19:33:55

    Olá Vania Li seu texto e encontrei consolo para minha alma. Já estava a ponto de enlouquecer de tanta tristeza. Em 2009 passando por uma forte crise do meu casamento, conheci uma pessoa na internet e desde o primeiro momento nos identificamos e percebemos que nosso amor era algo sem explicação, ficamos quase 2 anos conversando na internet e telefone, fizemos muitos planos e quando decidi separar pra viver esse amor com ele não consegui deixar meu marido e separar minhas filhas deles, achei egoismo meu ir atrás da minha felicidade e deixar outras pessoas que gosto tbm tristes... disse isso ao meu amado e ele acabou achando que sempre o enganei e meu amor não era verdadeiro... paramos de falar mas deixando uma conversa pendente para quando eu pudesse pra explicar tudo frente a frente e dizer que meu amor era verdadeiro. Paramos de falar, mas nunca deixavamos de escrever em datas especiais, e sempre quando escreviamos o amor vinha a tona como se nunca tivesse ficado afastado... esse ano eu mandei e-mail de natal e não recebi, agora no final de janeiro sonhei com ele e fui dar uma pesquisada na internet pra saber dele, fiquei sabendo no face da filha dele que ele havia falecido, quase tive um infarto... estou me sentindo tão culpada por não ter vivido esse tempo com ele, ter dado todo meu amor a ele e ter provado que realmente o amor, ele partiu sem ter certeza disso. Lendo seu texto me acalmei um pouco, mas a culpa por não ter dito tudo a ele tá me castigando, a dor é imensa... queria fazer alguma coisa pra ele saber do meu sentimento. Obrigada
  144. Comment by Mrs Vera — 17.2.14 @ 04:45:40

    Esta curta TESTEMUNHO pode ser útil para você ou alguém que perto de você. POR FAVOR, LEIA Meu nome é Vera Osagie , eu quero dizer mundo d como DR OKOSU salvou minha casamento que estava quase em colapso. Fui casada por sete anos sem uma criança e você sabe o que significa ser casado por dois anos sem um criança, mas o meu era 11 anos , então você pode imaginar a pressão que pode vêm de seus sogros na época. Minha sogra estava fazendo o meu inferno casamento para mim , embora meu marido era muito compreensivo , porque a nossa médico de família verificado nos e disse-nos que não havia nada de errado com os dois um de nós. Mas quanto tempo pode um homem continuar a entender e esperar por Deus tempo ? Eu estava muito preocupado , até que um amigo meu veio da Itália e disse-me cerca de um lançador de magias que um frito de sua conheceu na internet e que foi o fim de sua esterilidade . Mas eu nunca acreditei porque eu normalmente não acreditar em tudo isso histórias sobre feiticeiros não falar dos mais de a Internet . Mas depois de muita persuasão do meu amigo eu decidi entrar em contato DR OKOSU em seu gmail ( drokosu01@gmail.com ) e disse-lhe sobre a minha não ter filhos . Todo esse grande homem fez foi me perguntar alguma necessário perguntas e me contou algumas coisas necessárias que é necessário para me fazer ter crianças na vida . Eu fiz e seguiu todas DR OKOSU me instruiu e sobre Últimas duas semanas , eu estava grávida e eu estava entregue de um bebé . Eu sei o que significa não ter filhos , então eu estou usando esse meio para compartilhar o meu testemunho para que você também pode entrar em contato DR OKOSU hoje de soluções para qualquer um dos seus problemas como : (1) quer que seu ex-costas. (2) Você sempre tem pesadelos. (3) Para ser promovido no seu escritório (4 ) Quer uma criança. (5) Você quer ser rico. (6) querem manter o seu marido / esposa para ser só sua para sempre. 7) Você quer estar no controle de você casamento 8) Quer você ser atraído por pessoas 9 ) esterilidade 10) preciso de um marido / ESP 11) Como ganhar sua LOTERIA 12) cura para qualquer doença. Contacte DR OKOSU hoje e você será feliz que você fez. Email: drokosu01@gmail.com Obrigado pelo seu tempo .....
  145. Comment by Adriana — 19.2.14 @ 04:07:03

    Bom dia. Amei o texto, mas tenho algumas dúvidas. Quando eu era criança, até meus 13 ou 14 anos mais ou menos, tinha um sonho frequente com um garoto. Éramos crianças, mas ele estava sempre comigo, me ajudando. Na idade adulta não sonhei mais com isso, porém há alguns anos, reconheci esse mesmo menino em uma reportagem de TV, é o mesmo menino, mas agora já é homem. Minha pergunta é, se formos almas gêmeas e estamos vivendo essa existência separados (sei que nessa vida a gente não vai se encontrar), quando formos para outro plano iremos nos unir novamente? Ou por estarmos separados nessa vida vamos viver sempre separados agora? Eu o amo do fundo do meu coração, mesmo sem nunca te-lo visto pessoalmente. O olhar dele nunca me esqueci. Gostaria de tirar essa dúvida. Estou muito agoniada só de pensar que nunca mais ficaremos juntos depois de ter passado toda uma existencia separados. Obrigada
  146. Comment by mrs anna — 20.2.14 @ 00:10:12

    que um maravilhoso mundo em que vivemos , eu ainda duvido que este lançador de magias como ele fez isso ! Minha boca está cheia de testemunhos , Am Anna meu marido deixou a casa por dois anos à África do Sul para um turista , ele quis dizer uma prostituta e ele foi enfeitiçar pela menina meu marido se recusa a voltar para casa de novo, eu choro dia e noite procurando que me ajudar , eu li um jornal de notícias sobre um poderoso lançador de magias chamado Dr. Okojie e eu em contato com o lançador de magias para me ajudar a conseguir meu amor de volta para mim e ele me pedir para não se preocupar com isso que os deuses que lutam por me .. ele me disse que em meados de noite, quando todo o espírito está em repouso , ele vai lançar um feitiço para se reunir meu amor de volta para mim. e ele fez em menos de 3 dias o meu marido voltou para mim e começou a chorar que eu deveria para perdoá-lo , eu , estou tão feliz por que este lançador de magias fez por eu e meu marido .. contato em seu drokojiehealinghome@gmail.com e-mail é o melhor lançador de magias em todo o mundo selvagem. ele está specialiesed na resolução de outros problemas , incluindo os seguintes : (1) Se você quiser que o seu ex-costas. (2) se você sempre tem pesadelos. (3) Você quer ser promovido em seu escritório. (4) Você quer que as mulheres / homens a correr atrás de você. (5) Se você quer um filho. (6) Se você precisar de ajuda financeira. (7) Se você quiser que a cura do HIV AIDS contatá-lo agora para solução imediata do seu problemas no Drokojiehealinghome@gmail.com obrigado
  147. Comment by Ana Alice — 21.2.14 @ 15:49:45

    Vania muito obrigada pela resposta, me ajudou bastante, vou seguir seus conselhos, pois o future a Deus pertence! Bjos
  148. Comment by Adriana — 22.2.14 @ 01:08:12

    Amei o texto, mas tenho algumas dúvidas. Quando eu era criança, até meus 13 ou 14 anos mais ou menos, tinha um sonho frequente com um garoto. Éramos crianças, mas ele estava sempre comigo, me ajudando. Na idade adulta não sonhei mais com isso, porém há alguns anos, reconheci esse mesmo menino em uma reportagem de TV, é o mesmo menino, mas agora já é homem. Minha pergunta é, se formos almas gêmeas e estamos vivendo essa existência separados (sei que nessa vida a gente não vai se encontrar), quando formos para outro plano iremos nos unir novamente? Ou por estarmos separados nessa vida vamos viver sempre separados agora? Eu o amo do fundo do meu coração, mesmo sem nunca te-lo visto pessoalmente. O olhar dele nunca me esqueci. Gostaria de tirar essa dúvida. Estou muito agoniada só de pensar que nunca mais ficaremos juntos depois de ter passado toda uma existencia separados. Obrigada
  149. Comment by Rayane Lacerda — 24.2.14 @ 17:03:52

    A 3 anos conheci uma pessoa pela internet, eu não costumo entrar nesses sites de relacionamento, ele foi a primeira pessoa q veio falar comigo, depois disso começamos a nos falar todo dia, nos conhecemos e começamos a namorar, pra mim foi tudo muito diferente porque era a primeira vez que gostava tanto de alguém que eu conhecia a tão pouco tempo. Namoramos durante uns 8 meses e por consequências da vida nós terminamos. Ficamos separados sem se falar por quase um ano, tivemos relacionamento com outras pessoas, mas um nunca esqueceu o outro por mais que tentasse. E ai nos reaproximamos e com essa reaproximação os sentimentos falaram mais alto e então reatamos, ficamos juntos durante 1 ano e então aconteceram algumas coisas e nos separamos outra vez. Dessa vez eu realmente queria me afastar, me livrei de tudo que me fazia lembrar ele, apaguei telefone, exclui das minhas redes sociais e pedi pra ele não me procurar mais, se afastar definitivamente de mim, mas por mais que eu quisesse, por mais que eu tentasse não conseguia esquecer, só pensar e lembrar cada vez mais. E então ontem meu celular tocou e quando atendi meu coração parou, eu não podia acreditar naquilo, por mais que eu queira, por mais que eu tente a vida sempre me traz de volta pra ele, eu rodo e rodo e acabo parando no mesmo lugar, essa é a terceira vez, e o mais engraçado é que antes dele me ligar eu tive febre, eu tava passando mal e foi do nada e ai de repente aquele mal estar passou. Porque nós não conseguimos ficar um longe do outro? Porque essa necessidade de estar junto? Porque eu consigo me afastar de todo mundo que eu quero menos dele? Eu não acreditava muito nesse negócio de reencarnação, mas agora to começando a acreditar, como é possível eu ter febre do nada e melhorar com uma ligação dele depois de um mês e pouco sem se falar? Eu tento sentir raiva dele mas não consigo, tento me afastar mas o destino me leva até ele de novo. Ele disse que nesse tempo q ficamos sem se falar ele escutava a minha voz chamando por ele, e o pior e que eu também já escutei a dele a noite como se ele tivesse do meu lado. E agora eu to confusa mas sei que agora não vou mais conseguir me afastar dele. Isso quer dizer alguma coisa ou é só da minha imaginação? Porque parece que somos imãs que são sempre atraídos um pelo outro. Essa nessecidade que um tem pelo outro tem explicação?
  150. Comment by Priscila — 28.2.14 @ 16:01:02

    Olá Vânia...boa tarde!Estava procurando por algumas respostas quando como um passe de "mágica" encontrei este.Li muitos relatos e pude compreender muitos deles.Historias lindas de amor,amores não correspondidos,amores distantes entre outros.Cada história é um aprendizado para mim.Fico muito feliz de ter encontrado nas suas palavras tanto conforto e amor. Minha historia e um tanto diferente mas, com os mesmos assunto sobre amores não correspondidos. Desde de criança sempre me senti muito atraida por pessoas do mesmo sexo.Nunca me envolvi sexualmente com homens e hoje tenho uma namorada.No começo foi muito dificil porque sempre coloquei como um pecado mas o tempo passou e todos os meus envolvimentos até hoje são com mulheres.Hoje eu tenho 28 anos mas, nunca esqueci uma mulher pela qual eu me apaixonei perdidamente assim que a vi.Nunca nos envolvemos emocionalmente nem sexualmente mas, sempre tive um amor impar por ela.Senti no olhar dela que ela também sentiu a mesma coisa.Eu tinha 20 anos quando isso aconteceu efoi muito dificil esquece la.Por muito tempo não conseguia me envolver com ninguem porque estava presa nesse sentimento.O mais engraçado é que antes mesmo de conhece la havia sonhado com ela.E quando ela sofreu um acidente no mesmo dia senti e gritei seu nome.Gracas a Deus não foi grave.Depois dali nos afastamos e sempre que podia a observava de longe e ela sempre sentia e via nos olhos dela que sentia a mesma coisa.Nunca tive coragem de procura la para falar do meu sentimento..nunca conversamos mas, sempre senti q ela tambem sentia a mesma coisa.Vi pela redes sociais anos seguintes que ela casou,teve um filho e o sofrimento foi muito maior.Com o passar dos anos,o amor adormeceu e me envolvi em outros relacionamentos.Pude gostar, compartilhar os momentos e ser feliz por algumas vezes.E desde de então nunca mais nos vimos.Mas as lembranças acordaram como um passe de mágica e se fez muito presente nos meus pensamentos.Tenho comigo que algo ainda irá acontecer e ainda vamos nos encontrar.Senti algo que parecia ser de muitas outras vidas.E hoje indaguei uma grande amiga o porque do homosexualismo.Qual a visão dos espiritas?? Convivo com esse sentimento e sou assim porque eu escolhi ser assim.Me sinto feliz e já tentei envolvimento amoroso com rapazes mas, sem sucesso.Escolhemos passar por essa aprovação?Ou nossas escolhas são do livre arbitrio??Sempre senti que vim por amor ,como se nessa vida,escolhece viver um amor diferente mas,que não deixaria de ser amor.E smp que lembro desta menina pelo qual sinto amor desde do dia em que a vi,sinto que não deixei de ama la.Mesmo sabendo que talvez nessa vida , nunca iremos ficar juntas... mas foi marcante,profundo e sempre lembro desses olhos com muita ternura e algo incondicional.Obrigado pela oportunidade que esta sendo dada.Obrigado pelo seu divino entendimento.. sinto conforto imenso.Muito obrigado Vânia.
  151. Comment by Alessandra Mattarazzo — 1.3.14 @ 23:56:18

    Olá, Vânia, li seu texto, e como tantas outras pessoas que aqui comentaram, ele me ajudou a encontrar algum conforto para o que me aconteceu. Eu tenho 25 e nunca tive um namorado. Sempre tive problemas afetivos - não sei pq, mas até certa idade achava que era impossível para mim amar alguém. Aos 20 me apaixonei por um homem bem mais velho, e não deu certo, porque realmente acredito que não era para ser, mas pelo menos me deu a noção de que eu poderia amar afinal. Passei anos depois disso sem gostar de ninguém, mesmo tentando, e então, num intercambio de um mês ano passado, conheci uma pessoa com quem senti uma conexão que nunca sinto com ninguém. A gente se conheceu em outro país, mas somos ambos brasileiros, eu do sul, e ele e ele do sudeste. No mês da viagem, nós fomos apenas amigos, mas eu sentia por ele algo que eu nunca tinha encontrado em outra pessoa. Nós passávamos horas conversando, e era quase como se eu estivesse conversando comigo mesma - mas nada aconteceu, até mesmo porque eu tinha medo de sofrer e sabia que cada um voltaria para a sua cidade, e nós tínhamos as nossas vidas. Quando voltamos, começamos a conversar pela internet, e eu comecei a gostar cada vez mais dele, e sentia que ele sentia o mesmo por mim - passamos 2013 inteiro sendo amigos pela internet - a gente dividia tudo - planos, sonhos, gostos, medos, tudo. Mas era só isso. Em dezembro ele me disse que tinha um encontro com uma menina da cidade dele, e eu tive um ataque de ciúmes, e aí ele acabou confessando que me gostava de mim, e que se eu estivesse lá, eu seria a única para ele. Ele disse que a menina era uma tentativa de ter uma vida normal longe de mim. Ele me disse várias palavras de amor, e eu confessei que tbm amava ele. Passamos mais um mês conversando, e eu acabei esquecendo da menina, porque estava tão feliz que finalmente tinha encontrado alguém q eu amasse e que me amava de volta. Eu achei que era apenas uma questão de tempo até que a gente pudesse se ver de novo e ficarmos juntos. Somos ambos jovens, e eu já terminei a faculdade e planejo fazer pós no exterior este ano, e ele ainda está na faculdade, ou seja, por enquanto, a gente só poderia ter um relacionamento à distância, e por mim eu aceitaria. Só que daí, depois de um mês, eu fui me sentindo angustiada porque queria um plano para nos encontrarmos, só que daí ele me disse que agora não era possível, e que para ele era muito sacrifício. Daí, depois de algumas discussões sobre o assunto, ele me disse que era melhor que a gente não se falasse mais, e que eu seguisse a minha vida e não esperasse por ele. Fiquei sem chão, e acabei descobrindo que ele estava namorando a menina. Janeiro e fevereiro foram pra mim meses horríveis, pois o sentimento de perda foi muito grande. Eu achei que eu tinha finalmente encontrado o amor. A questão toda é, eu não sei se eu penso que ele mentiu para mim quando disse que me amava, ou se o caso é esse de sermos almas afins que não podem ficar juntas. A verdade é que eu sei que a gente podia, se ele quisesse, seria bem difícil, mas podia. Só que ele não quis. Ele optou pela pessoa que estava do lado dele. Eu não sei se a conexão que a gente teve, e a amizade (que pra mim era linda, e ele me disse que pra ele também era) foi um engano, ou se isso é uma provação para os dois. Eu não sei se no futuro nos aguarda uma união, ou se realmente não é para ser. Só que agora seguimos caminhos diferentes, e não sei se a sensação de encontrar alguém igual era ilusão. Aguardo sua resposta.
  152. Comment by RÂNDYNA PAULA COÊLHO DA CUNHA — 13.3.14 @ 12:11:00

    E quando a alma irmã morre? Como quem fica pode ajudá-la e se ajudar? Estou vivendo isso e não sei mais o que fazer porque estou absolutamente ligada a ele, como se ele estivesse impresso em meu espírito, como se um pedaço muito grande de mim estivesse com ele. Foi uma morte abrupta, violenta, um afogamento. Sinto que ele pode estar em sofrimento. Corre o risco dele reencarnar antes de eu poder encontrá-lo novamente? É assim? Não sei muito sobre essas cosias, tenho pesquisado em busca de algo que explique o que estou vivendo.
  153. Comment by Irene — 24.3.14 @ 20:44:40

    Olá gostei muito da suas postagens ! Perdi meu marido de acidente faz 25 dias ! esta sendo uma luta pra mim pois tínhamos muitos sonhos inclusive o de temos filhos mais não tivemos , esta sendo muito difícil pra mim ele era realmente o homem da minha vida um amor que eu só capaz de qualquer coisa. mais infelizmente ele foi embora uma morte muito rápida, já ate tentei contra minha vida mais sei que não irei fica do lado dele . acredito muito no espiritismo estou tentando buscar forca para encara a vida que sem ele esta realmente muito difícil pois todos os meus planos era para com ele . não sei oque fazer oque querer . nada mais faz sentido em minha vida ! o marido dos sonhos de qualquer mulher era o meu marido . Como pode deus na sua imensa grandeza mim tira ele assim ? talvez esteja sendo injusta com meu destino mais e muito difícil perde um grande amor . será que um dia eu o encontrarei novamente ? e seu demora de desencarna e ele reencarna como um reencontro será possível ou não será ? fiz duas tatuagem com o nome dele assim que ele faleceu , e sonhei com ele dizendo que as tatuagem era linda isso que dizer alguma coisa? desculpe se disse algo contraditório e que essa dor esta muito grande dentro do meu peito . desde já muito obrigada .
  154. Comment by Rozilda Euzébio Costa — 4.4.14 @ 18:39:16

    Vania, amei a tua postagem porque ela me encheu de luz e de esperança. Estava sentindo uma angustia muito grande na minha alma e após ler o texto sobre o amor de outras vidas, sobre almas que caminham juntas pelas inúmeras reencarnações, senti como se o sol entrasse no meu coração e afastasse todas as nuvens de dúvidas e angústias. É bom saber que as vezes somos nós mesmos que escolhemos por provações ou espiações, ficar uma encarnação longe do nosso amor, do nosso companheiro de eternidade. Obrigada.
  155. Comment by Barbara — 5.4.14 @ 23:05:27

    Ainda existe este tipo de amor no mundo? Ando desiludida, só vejo traições por todos os lados. Eu também não sou exemplo de fidelidade, pois também já pensei em trair meu namorado, mesmo que não o tenha feito. Tenho medo de não saber amar, pois meus relacionamentos acabam quando acaba a paixão, nos primeiros 2 anos. Recentemente, quando achava que estava tudo indo muito bem no meu namoro atual, descobri que ele mentiu e saiu escondido diversas vezes. Estou sofrendo duplamente: a primeira é por saber que ele pode ter me traído e a segunda é por ansiar tanto um amor verdadeiro e seguro de ambas as partes. Será que esse amor chega? o que me prende ao meu namorado que mentiu pra mim, pq me sinto tão triste a ponto de não conseguir terminar com ele? Ele teve uma série crise de depressão há 2 anos. Ficou muito mal e foi para a igreja evangélica, pois dizia até que pressentia o fim do mundo, demônios e tal. Acho que era um obsessor. Hj está "curado", superou isto. Vânia, se pudesse me dar um conselho pra acalmar meu coração, seria muito bem vindo. Obrigada.

Leave a comment


Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://espiritismosemmelindres.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.